Efeito Gabriel Jesus: atacante de 2022 pode ainda estar no Sub-17 do Brasil  Divulgação/CBF/Divulgação

Foto: Divulgação / CBF/Divulgação

O hexa não veio, mas o torcedor brasileiro já começa a fazer as contas para saber se há chances da sexta estrela ser bordada na camisa da Seleção em 2022. Uma renovação no elenco do time comandado por Tite pode acontecer e nomes como Vinícius Junior, Rodrygo e   Arthur se tornaram unanimidade para comporem o time no Catar. Mas, muitas coisas podem acontecer em quatro anos e atletas que hoje estão com menos de 17 anos podem estourar neste meio tempo.

Gabriel Jesus tem 21 anos e foi o mais novo entre os convocados para a Rússia. Na Copa no Brasil, o jogador ainda estava nas categorias de base do Palmeiras e o sonho de vestir a amarelinha no mundial parecia ser um sonho distante na cabeça do atacante, que na época morava no Jardim Peri, na zona Norte de São Paulo. 

De olho na Copa de 2022: conheça os jogadores que atuam pela Seleção Brasileira Sub-20

De lá pra cá,  Jesus ganhou fama, foi peça fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro de 2016 pelo Verdão e foi jogar no Manchester City, um dos principais clubes do futebol inglês. A saga meteórica levou o atacante para a Rússia. Há quatro anos essa possibilidade parecia remota para um jovem atacante de 17 anos. 

Mas, será que o mesmo raio pode cair duas vezes no gramado da Granja Comary e um nome improvável pode surgir no próximo ciclo de Copa? Essa é a pergunta que todos buscam a resposta, mas uma coisa é certa: dentro da "geração 2000" tem ao menos dois craques que podem brilhar. 

DA ONDE NASCEM OS PEQUENOS CANARINHOS

A CBF trabalha com diversos jogadores nas categorias de base da Seleção Brasileira, mas não tem um dirigente específico para observar a evolução dos atletas.  Já teve: Erasmo Damiani liderava a nova geração, mas foi demitido do cargo no começo de 2017. Hoje Edu Gaspar, coordenador técnico da entidade máxima do futebol brasileiro, é o responsável pelos jovens "canarinhos".

O Sub-17 é onde começam a despontar os principais nomes. No ano passado, o Brasil foi terceiro lugar na Copa do Mundo  da categoria. Vinicius Junior, apontado como sendo uma das principais promessas do ataque brasileiro, ao lado de Paulinho, ex-Vasco que foi vendido para o futebol alemão, estavam no elenco. 

Diferente da Seleção principal, o ciclo da categoria de base é mais curto e diversos jogadores que estavam naquele time hoje estão no Sub-20, que disputará o sul-americano no ano que vem. Desde o começo do ano, a CBF está montando a nova equipe. Em março convocou o time que disputou o torneio de Montaigu. O Brasil chegou na final, mas perdeu para Portugal. 

Com quatro gols em quatro jogos, o melhor jogador da competição também tem Jesus no nome. O meia Reinier Jesus, que defende o Flamengo, é apontado com o craque do time e uma promessa da excelente geração que está saindo do Ninho do Urubu. 

O garoto de 16 anos recentemente assinou como profissional do Flamengo e tem como característica o vigor físico e a altura (1,84m). O meia francês Zidane é apontado como sendo sua maior referência:

-  Nunca vi ele jogar, mas é o Zidane, um cara que meu pai mostrou vídeos no celular. Sempre busco fazer jogadas como ele. Se eu for 1% dele já estou bem (risos) - disse em entrevista ao Globoesporte.com no fim do ano passado. 

Segundo o portal inglês Anfield Edition, o Liverpool, da Inglaterra, se movimenta para poder contratar o atacante. A ida dele, no entanto é difícil, já que o vínculo do meia com o Flamengo vai até 2021 e a multa rescisória é considerada alta para clubes do exterior.

Outro destaque das categorias de base da Seleção Brasileira e que esteve no último compromisso na França tem nome do camisa 9 do time do Tite e sobrenome de um astro da argentina: Gabriel Veron. 

Defende as cores do Palmeiras e foi o destaque do Verdão na conquista do Mundial de Clubes Sub-17. Em junho, ele liderou a equipe que goleou o Real Madrid por 4 a 2 dando o inédito título para o time paulista.  Marcou nove gols em cinco jogos e foi o artilheiro da competição, fato que rendeu elogios do meia Zé Roberto, que acompanhou o jogo como assessor técnico do Palmeiras. 

Ainda é cedo para dizer se os dois jogadores poderão crescer no mundo do futebol como Gabriel Jesus fez nos últimos quatro anos, no entanto é importante manter o olho aberto para acompanhar a evolução das promessas. O futebol brasileiro agradece e o hexa pode estar mais perto que podemos imaginar.   

Leia Mais

Brasil começa novo ciclo com a dúvida da Copa América em casa: objetivo é vencer ou testar?

Croácia e Inglaterra apostam em paredões por vaga na final da Copa

"A França não jogou nada", diz Courtois sobre derrota da Bélgica


 Veja também
 
 Comente essa história