O zagueiro Sergio Ramos anunciou neste sábado que pretende empreender ações legais contra os veículos de comunicação que revelaram um controle antidoping positivo em 2017, acusando os jornalistas de quererem mancharem sua imagem.

"Estou tranquilo. É certo que me machuca e evidentemente tomarei com meu time legal as medidas contra este tipo de pessoas que tentam manchar minha imagem e carreira profissional", disse o capitão do Real Madrid em coletiva de imprensa após derrota para o Eibar (3-0).

"Em 15 anos, nunca neguei um controle antidoping. Nunca deixei de cumprir nenhuma norma e devo ter realizado uns 250-300 testes, mas estou tranquilo", acrescentou.

De acordo com documentos do Football Leakes, o zagueiro foi pego em um exame antidoping por uso de corticoide na noite da conquista da Liga dos Campeões, em maio de 2017, antes de ser absolvido pela Uefa, que considerou que a medicação foi autorizada.

Depois da final, o exame antidoping do jogador revelou a presença de dexametasona, um potente corticoide proibido em competições pela Agência Mundial Antidoping (Wada) a não ser que seja administrado localmente, informou na sexta-feira a Mediapart, apoiando essas informações em documentos confidenciais.

Ramos reconheceu ter usado o produto, mas por injeção direta na articulação, um argumento que convenceu a Uefa, que arquivou o caso.

"É um anti-inflamatório para o acrômio clavicular que tive no ombro. Mas o tema ficou mais que fechado", disse Ramos.

"Não sou eu quem tem que detectar se existem máfias ou não (por trás das revelações). A verdade só tem um caminho. A mentira pode ser contada de mil maneiras, mas não deixa de ser mentira", indicou Ramos, que revelou que está ciente destas informações há mais de um mês.

"Tanto ontem quando no último mês, eu dormi tranquilo", concluiu Ramos.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história