Claudinei Oliveira , Chapecoense
Claudinei Oliveira fechou o treino, mudou esquema tático e surpreendeu o Sport na Arena CondáFoto: Sirli Freitas / Chapecoense

Depois de dez rodadas na zona de rebaixamento muitas críticas foram dirigidas para jogadores, direção e membros da comissão técnica da Chapecoense. Mas após a vitória sobre o Sport, por 2 a 1, nesta quinta-feira, na Arena Condá, o técnico Claudinei Oliveira fez questão de ressaltar a mobilização para apoiar o time, com promoções de ingresso e mensagens de apoio.

- Ontem (quarta-feira) a direção mostrou um vídeo institucional para os atletas sobre a história do clube e hoje os funcionários mandaram mensagens de apoio para o elenco. Não é só o Claudinei que mobilizia, teve muita coisa que aconteceu – disse o treinador.

O técnico da Chapecoense disse que a mudança na forma de jogar, tirando um terceiro atacante e colocando o meia Diego Torres num meio em fora de losango, como jogam na Argentina, aproximando os atacantes Wellington Paulista e Leandro Pereira, ambos próximo da área, surpreendeu o Sport.

Tanto que a Chapecoense fez dois gols em sete minutos. Claudinei ressaltou que a Chapecoense poderia ter marcado até cinco gols na primeira etapa, só não acontecendo isso graças a uma boa atuação do goleiro Mailson.

Depois o Sport equilibrou o jogo e chegou a descontar. Mas, para o técnico da Chapecoense, seria uma injustiça se houvesse o empate.

Ele disse que agora vai estudar o Corinthians e que vai para São Paulo buscar a vitória, o que poderia garantir a permanência na Série A. Para essa partida ele conta com o retorno de Bruno Pacheco  mas não deve mudar muito o time, a não ser que tenha que preservar algum atleta por desgaste. Leandro Pereira pediu para sair por câimbras mas pretende jogar.

Questionado sobre conter a euforia após a vitória, o treinador disse que fará isso somente no sábado.

- Hoje é o dia de deixar eles eufóricos. Deixa eles curtir esse momento com a família. No sábado, em São Paulo, a gente senta com eles e conversa para baixar a adrenalina e por os pés no chão – destacou o treinador.

Em sete jogos ele tem três vitórias e quatro derrotas. E pode ficar marcado como o técnico que salvou a Chapecoense do rebaixamento.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense

 Veja também
 
 Comente essa história