Maior ídolo da história do Boca Juniors, o ex-meia Juan Román Riquelme ironizou nesta terça-feira a realização da partida de volta da final da Libertadores contra o rival River Plate em Madrid, chamando o jogo de "o amistoso mais caro da história".

"Nos tiraram a final. O que vamos fazer para que se jogue o próximo Boca-River na Argentina? Teremos que jogar em outro país?", afirmou o jogador à rádio Mitre.

"Já não será a mesma coisa. Por mais que queira que o Boca vença, acho que a final tem que ser jogada no nosso país. Vai ser o amistoso mais caro da história", lamentou Riquelme.

Por conta dos incidentes ao ônibus do Boca na chegada ao estádio Monumental, a Conmebol adiou o jogo e remarcou a finalíssima para o estádio Santiago Bernabéu no dia 9 de dezembro.

"É estranho e acontece com todo mundo. Poucas coisas são nossas, como o mate e o doce de leite. E o Superclássico acabaram de nos tirar, não é nada lindo", refletiu Riquelme.

A partida de maior rivalidade no futebol argentino será disputada sob protestos em Madri. Os torcedores do River garantem que é uma injustiça a perda de mando de campo, justificando que o ataque foi uma falha na segurança pela polícia.

Já o Boca considera que a Conmebol deveria entregar os pontos da final e declará-lo campeão, pela responsabilidade do rival nos incidentes.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história