O britânico Charlie Whiting, que foi o diretor de corridas da Fórmula 1 durante duas décadas, faleceu nesta quinta-feira em Melbourne, a poucos dias do Grande Prêmio da Austrália, que abrirá a temporada 2019, anunciou a Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Whiting, 66 anos, estava à frente da direção de provas da Fórmula 1 desde 1997, em um cargo responsável por verificar a aplicação do regulamento.

O britânico foi vítima deu uma embolia pulmonar.

"Com imensa tristeza recebi a notícia da súbita morte de Charlie", afirmou em um comunicado o presidente da FIA, Jean Todt.

"Conhecia Charlie Whiting há muitos anos e ele foi um grande diretor de corridas, uma figura central e inimitável na Fórmula 1, que encarnou a ética e o espírito deste esporte", completou Todt.

Com a morte de Whiting, "a Fórmula 1 perde um amigo fiel e um embaixador carismático".

Whiting iniciou a carreira na Fórmula 1 em 1977, na escuderia Hesketh. Em 1980 passou a trabalhar na Brabham.

Ele passou a trabalhar para a FIA em 1988.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história