O Paris Saint-Germain, que promete ter meses conturbados pela frente, precisa vencer a final da Copa da França contra o Rennes e poderá contar com a volta do trio Neymar-Mbappé-Cavani para erguer o troféu nacional.

De um lado da balança, as duas humilhantes eliminações no Parque dos Príncipes: diante do Guingamp na Copa da Liga e, especialmente, para o Manchester United na Liga dos Campeões. Do outro, a vitória na Supercopa francesa e o título da Ligue 1.

Assim, fica difícil de dar uma nota para a temporada do PSG, marcada por altos e baixos. A final contra o Rennes será a última chance da equipe de fazer com que os torcedores vejam o copo meio cheio.

Por outro lado, uma derrota na competição que o PSG monopoliza desde 2015 faria da primeira temporada de Thomas Tuchel como técnico da equipe a pior em seis anos, pelo menos a nível de títulos.

Também colocaria mais lenha em uma janela de transferência que já se apresenta como quente e na qual o clube terá que lidar com as situações contratuais de Thiago Silva, Edinson Cavani e dos goleiros, além da falta de meias na equipe.

"O objetivo é claro: ganhar a 'dobradinha' (Copa-Campeonato). Precisamos ganhar no sábado", declarou Tuchel no domingo, após sua equipe selar o título da Ligue 1 com a vitória por 3 a 1 sobre o Monaco. Há dez dias, o técnico admitiu estar preocupado com a final.

O PSG havia somado duas derrotas consecutivas no campeonato, 5-1 contra o Lille e 3-2 diante do Nantes três dias depois, o que provocou uma situação de crise inédita nesta temporada.

- Ben Arfa e a vingança perfeita -

Mas a volta do famoso trio de ataque parisiense é um alento. Cavani já jogou no último fim de semana, assim como Neymar, que disputou seus primeiros 45 minutos em três meses.

Angel Di Maria também estará à disposição, após perder os últimos cinco jogos por lesão.

Em grande forma (20 gols e 11 assistências) antes de se lesionar, Neymar "está pronto para sábado", anunciou Tuchel, no que será o primeiro jogo do brasileiro no Stade de France.

A última vez que Cavani, Neymar e Mbappé jogaram juntos foi em 19 de janeiro, na goleada espetacular de 9 a 0 sobre o Guingamp.

São dúvidas para a final por questões físicas o italiano Marco Verratti e Thiago Silva, adiantou Tuchel.

Já o Rennes chega ao duelo pelo título em má fase -uma vitória nos últimos oito jogos-, mas contará com um grande apoio popular: cerca de 80 ônibus e um trem especial partirão da Bretanha repleto de torcedores para tentar ajudar o clube a conquistar o que seria seu primeiro título desde 1971.

Dentro de campo, Hatem Ben Arfa tentará se vingar do ex-clube, no qual teve poucas chances de mostrar seu talento. Ele fará dupla de ataque com Mbaye Niang, outro jogador importante que poderia dar dor de cabeça à zaga parisiense.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história