O Tottenham sonha com sua primeira final da Liga dos Campeões a poucas horas de enfrentar o Ajax, que espera se reencontrar com os anos dourados graças a seus jovens talentos, na terça-feira pelo jogo de ida das semifinais da Champions League.

A possibilidade de uma final europeia, quando há pouco a imprensa britânica falava em uma eventual saída do técnico argentino Mauricio Pochettino, além dos jogadores Harry Kane e Christian Eriksen, chega na hora certa para os 'Spurs'.

Quem gostaria de deixar um clube que é capaz de chegar à final da competição de maior prestígio da Europa e no momento em que acaba de inaugurar um estádio de mais de 62.000 assentos, uma joia de 1 bilhão de libras?

"Temos que começar a pensar em um novo capítulo, na nova era, para termos certeza de que o Tottenham é um verdadeiro candidato às grandes coisas", declarou Pochettino durante a inauguração. "Devemos nos comportar como um grande clube. Devemos ser aspirantes realistas a grandes coisas".

Se comportar como um grande clube também significa contratar para viver primaveras mágicas.

Mas o dinheiro foi totalmente dedicado ao estádio, não ao plantel, e o Tottenham não se reforçou nem no verão e nem neste inverno europeu.

Os 'Spurs' estão agora pagando o preço: se preparam para receber o Ajax com um elenco reduzido ao mínimo. Kane, Moussa Sissoko, Serge Aurier, Harry Winks e Erik Lamela estão lesionados, enquanto que Son Heung-min vai cumprir suspensão na terça-feira.

Um desgaste que impede que os londrinos desenvolvam seu intenso jogo ofensivo e que fez com que perdessem força no momento mais crítico, vencendo só um de seus três últimos jogos da Premier League (incluindo uma derrota em casa no sábado contra o West Ham) e com apenas um gol marcado nas duas últimas semanas.

- Ajax: agora ou nunca? -

Já em Amsterdã, tudo vai bem. A Eredivisie cedeu um fim de semana de descanso ao Ajax para o duelo europeu.

Graças a seus jovens, especialmente a Matthijs de Ligt, Frenkie de Jong, Kasper Dolberg e Donny van de Beek, os holandeses eliminaram os gigantes Real Madrid e Juventus de Turim.

Esta geração não se esconde mais e lembra a de 1995, quando Louis van Gaal levou os jovens Edwin van der Sar, Frank e Ronald de Boer, Edgar Davids, Clarence Seedorf, Marc Overmars e Jari Litmanen ao título europeu.

O técnico do Ajax, Hen ten Haag, vai enfrentar com plena confiança esta última partida eliminatória da Champions, lançando seus jogadores ao ataque.

"Ele nos pede para que joguemos liberados. E seja qual for o adversário ele não muda seu sistema de jogo hiper-ofensivo, com uma pressão muito forte", explicou recentemente De Ligt na revista Voetbal International.

"Mas ele também sabe se adaptar ao adversário. Contra a Juventus me pediu para que eu lançasse bolas longas em vez de construir por baixo com passes curtos. Isso confundiu os turinenses", explicou o zagueiro central.

O certo é que para Ten Haag e esta excepcional geração será sem dúvida a última oportunidade de brilhar com a camisa vermelha e branca.

Assim como em 1995, o elenco do Ajax corre o risco de ser desfigurado, com a compra de vários jogadores pelos grandes clubes europeus.

Por enquanto a única transferência oficial é a de De Jong para o Barcelona por 75 milhões de euros, mas outros também podem seguir o mesmo caminho.

O Tottenham, que conta com quatro ex-jogadores do Ajax em seu plantel (o colombiano Davinson Sánchez, Toby Alderweireld, Jan Vertonghen e Eriksen), deveria prestar atenção.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história