A Uefa apresentou nesta quarta-feira às Ligas Europeias um polêmico projeto para uma nova Liga dos Campeões a partir de 2024, favorável a princípio aos maiores clubes, durante uma reunião em Nyon, na Suíça, confirmaram à AFP fontes concordantes.

Segundo o formato proposto, a Champions passaria a ter quatro grupos de oito equipes, o que aumentaria o número de jogos europeus, e um sistema de acesso e rebaixamento, aparentemente favorável aos maiores clubes do continente.

"Nenhuma decisão foi tomada. Até o momento são apenas ideias e opiniões", explicou o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, em nota.

Por outro lado, contrariamente ao que vinha sendo especulado nas últimas semanas, o projeto não contempla jogos europeus aos finais de semana, para alívio das Ligas Europeias, em pé de guerra diante da possibilidade de prejudicar os campeonatos nacionais.

"O processo começou. Veremos como evoluem as conversas e negociações", reagiu nesta quarta-feira a Associação de Ligas Profissionais (European Leagues) em declarações à AFP.

O diretor geral da Liga de Futebol Profissional francesa (LFP), Didier Quillot, não quis comentar o caso, mas confirmou que a Uefa realizou uma "apresentação detalhada" do projeto de reforma da Liga dos Campeões, direcionada para uma competição mais fechada.

Quillot havia pedido na terça-feira em Madri que a Uefa "repensasse" o projeto, se mostrando contra um torneio fechado. "Não queremos colocar em risco nossas receitas, nossos direitos de televisão", alertou.

De acordo com o novo projeto, os cinco primeiros colocados de cada um dos quatro grupos de oito times se classificariam diretamente para a edição seguinte da Champions, independentemente de seus resultados nos campeonatos locais, o que poderia reduzir o interesse do público nas competições nacionais.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história