Há dois anos, nevava no topo do Morro do Cambirela e em 106 cidades de SC Alvarélio Kurossu/Agencia RBS

Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

Há exatos dois anos, Florianópolis virava notícia nacional por influência do tempo — e não de um dia quente aproveitado em uma das 42 praias da cidade. A foto do Morro do Cambirela, na Grande Florianópolis, coberto de uma camada de neve rodou o país no dia 23 de julho de 2013.

O registro foi chamado foi chamado de montagem e até de "Alpes Catarinenses". Fato é que outras 106 cidades de Santa Catarina registraram o mesmo fenômeno naquela semana. Em algumas cidades, chegou a nevar por quatro horas seguidas. Segundo o agrônomo do Climaterra, Ronaldo Coutinho, todas os municípios do Planalto Norte e quase todos da Grande Florianópolis registraram neve.

Neve é registrada em pelo menos 107 cidades de SC
Paisagem esbranquiçada surpreende moradores
Entenda a diferença entre neve, sincelo e chuva congelada

O que aconteceu naquela terça-feira não é comum na Grande Florianópolis. Antes do lençol branco em cima do morro de mais de mil metros, não caía neve havia quase 30 anos no Cambirela. Em 2015, ainda não foi registrada neve em Santa Catarina.

O fenômeno em 2013 foi possível graças a uma frente polar que deixou as temperaturas entre 0ºC e 1ºC. Isso, combinado a umidade do ar, permitiu a formação de cristais de gelo translúcidos de forma hexagonal formados diretamente pelo congelamento do vapor d'água da atmosfera — também conhecido como neve.

Entre brincadeiras e esportes

A neve que apareceu depois de quase 30 anos na Grande Florianópolis também foi responsável por fazer as pessoas retirarem os casacos pesados do armário. O frio antes restrito à Serra catarinense e a viagens estava na Capital.

Em Rancho Queimado, na Grande Florianópolis, bonecos de neve eram construídos por moradores enquanto outros se divertiam atirando bolas de gelo em uma brincadeira. Até o snowboard foi praticado nas montanhas que antes eram cobertas de grama e árvores.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história