Durante anos focados na relação mãe-filho, pesquisadores de diferentes áreas também têm percebido a importância de estudar a presença da figura paterna nos primeiros anos de vida dos filhos. O jornalista e escritor Paul Raeburn reuniu no livro Do Fathers Matter? (Os Pais Importam?, em tradução livre), lançado em 2014 e ainda sem edição no Brasil, dezenas de pesquisas que advogam em favor da figura paterna até mesmo durante a gestação. Veja trechos da entrevista, concedida por e-mail ao caderno Vida.

Leia também:
Pais encontram na internet espaço para dividir experiências sobre a paternidade

Quais as principais conclusões das pesquisas sobre o papel dos pais na criação dos filhos?
Os pais não são aqueles tolos descritos em anúncios de fraldas, que não têm sequer habilidades motoras para executar bem essa tarefa. Derrubando mitos e estereótipos sobre paternidade, o que as pesquisas apontam é que a presença dos pais beneficia as crianças mesmo durante a gestação. Há mais risco de o bebê nascer prematuro se não estiver em contato com o pai durante a gravidez. E, após o nascimento, essa influência só aumenta.

Em vídeo, conheça o projeto S.E.R. PAI:

A visão sexista sobre os cuidados com os filhos foi ultrapassada?
Conhecemos mais sobre os papéis que os pais desempenham e que podem desempenhar em uma família quando estamos livres de estereótipos. Homens e mulheres tendem a cumprir papéis distintos. Enquanto as mães são mais acolhedoras e protetoras, os pais são os que apresentam novas dimensões do mundo à criança, impondo limites e ensinando-as a lidar com os demais. Mas isso não significa que as mães não possam impor limites, ou que os pais não possam ser acolhedores. São apenas algumas diferenças observadas, mas não uma regra.

Como fazer um ensaio fotográfico newborn seguro para o bebê
Brincar ao ar livre faz bem à visão infantil, indica estudo

O maior engajamento dos pais na criação dos filhos traz consequências também para a vida adulta?
Já se pode observar que crianças que contam com a participação das figuras materna e paterna nos primeiros anos de vida se transformam em adultos mais estáveis emocionalmente, com maior autoestima e tendem a ter melhor sucesso acadêmico. A interação contínua dos pais com os filhos os ajuda a lidar com eventos inesperados, preparando-os melhor para lidar com o mundo.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história