Gestantes não devem ingerir qualquer quantidade de álcool, diz Academia Americana de Pediatria  Jose Torres/Stock.xchng

Foto: Jose Torres / Stock.xchng

Nenhuma quantidade de álcool pode ser considerada segura durante qualquer período da gravidez: é o que recomenda a Academia Americana de Pediatria, um dos órgãos de saúde mais influentes do mundo.

A indicação foi embasada por estudo publicado na edição de novembro da revista científica Pediatrics, divulgada nesta segunda-feira, que associa ingestão de bebidas alcoólicas durante a gravidez a problemas neurocognitivos e comportamentais em crianças. O conjunto desses transtornos relacionados ao consumo de álcool por gestantes é chamado de fetal alcohol spectrum disorder, em português, desordens do espectro alcoólico fetal.

Histórico de depressão pode aumentar risco de diabetes gestacional, indica estudo
Filhos de mães obesas têm risco 33% maior de desenvolver diabetes

Os autores do estudo também relacionam a exposição ao álcool no período pré-natal a problemas de funcionamento e formação do cérebro, coração, rins e ossos, e transtornos como hiperatividade, déficit de atenção e problemas de aprendizagem. No primeiro trimestre da gravidez, o risco para a criança de desenvolvimento de transtornos é 12 vezes maior do que gestantes abstêmias. Para mulheres que consomem álcool durante toda a gestação, a probabilidade é 65 vezes maior.

Um levantamento da entidade americana indica que metade das gestantes nos Estados Unidos revelaram ter consumido bebidas alcoólicas no último mês, e quase 8% relataram uso constante de álcool durante a gestação.

– A pesquisa sugere que a escolha mais inteligente que uma mulher grávida pode fazer é evitar consumo de álcool completamente – declara Janet F. Williams, uma das autoras do estudo que embasou a recomendação do órgão norte-americano.

Leia mais sobre saúde e bem-estar

 DC Recomenda
 
 Comente essa história