Social Good Brasil LAB começa nesta semana com projeto criativos e inovadores para sociedade Rodrigo Philipps/Agencia RBS

Sandro Wiggers desenvolve um aplicativo voltado para pessoas com deficiência auditiva

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Com 50 projetos criativos e voltados para a desenvolvimento social, o Social Good Brasil Lab terá o início dos trabalhos a partir desta quinta-feira, quando todos se reúnem para iniciar o processo de realização das ações. São ideias como oportunizar emprego para mulheres que estão no sistema prisional e ajudar pessoas a encontrar uma unidade de saúde adequada com mais facilidade. Todos os projetos, de 13 estados diferentes do Brasil, estão organizados em valores sociais, mas terão ao longo dos próximos quatro meses ajuda mútua para aperfeiçoamento.

Leia mais sobre Estilo de Vida do DC
Conheça aplicativos que fazem a diferença na política do Brasil
Veja mais sobre notícias de tecnologia

O Social Good Brasil Foi criado em 2012 a partir da parceria entre o Instituto Voluntários em Ação (IVA) e o Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom). A proposta do Lab é que durante quatro meses os empreendedores consigam prototipar, testar e aperfeiçoar os projetos para que estejam prontas para serem colocadas em ação. Quatro ideias de destaque serão selecionadas para se apresentar no Seminário SGB e concorrer a um fundo de investimento semente para contribuir com as suas iniciativas.

- Os selecionados vão encontrar um ambiente inovador para apoiar no desenvolvimento de ideias para que elas sejam colocadas em práticas, como um negócio. Além disso eles terão mentores para cada inciativa e o apoio tecnológico para isso funcionar - acrescenta Bárbara Basso, coordenadora do SGB Lab.

Ao todo fora 386 projetos inscritos em 2016 e 50 selecionados. Ao final do Lab, todos realizam uma apresentação e os quatro projetos selecionados concorrem a um fundo semente de investimento para acelerar o desenvolvimento do projeto, que já estará em fase final, ou concluído. Conheça três dos 21 projetos catarinenses que tentarão fazer a diferença na sociedade.

Fernanda Goss - Conexão Liberdade
A ideia é criar uma plataforma que ajude as mulheres que estão no Presídio Feminino de Florianópolis a encontrarem um meio de realizar seus sonhos profissionais. O Conexão Liberdade, nome do projeto, irá reunir empresas e pessoas interessadas em capacitar, formar e ajudar mulheres que logo estarão no mercado de trabalho e dessa forma evitar que elas reincidam em atos criminosos.

A idealizadora do projeto é a advogada e jornalista Fernanda Goss, que percebeu que um dos problemas mais sérios do sistema prisional era a falta de perspectiva das pessoas que deixavam as suas celas. Segundo ela, que fez mestrado em criminologia, uma vez que pessoa entra no sistema criminal é difícil sair dessa situação.

- O objetivo é oportunizar chances de emprego que estejam ligadas aos sonhos dela. Não adianta colocar as pessoas em subempregos, é preciso inserir no mercado de trabalho de tal forma que seja realizadora - explica Fernanda Goss.

As vantagens para quem se coloca como interessado em oportunizar uma capacitação e a realização de um sonho profissional estão desde o marketing social como também a formação de um trabalhador qualificado com perfil da empresa. Mas também é preciso levar em conta que a realização do projeto colabora com a redução de gastos públicos no sistema prisional.

Com o Social Good Lab, Fernanda espera aprender sobre ponto que ainda não tem domínio e encontrar mais pessoas dispostas a ajudar.

- A áreas de empreendedorismo tecnologia eu preciso de mais ajuda, espero desenvolver isso e agregar pessoas que colaborem para isso. E claro, ampliar as redes de contato - espera Fernanda.

Giovanni Santoro Junior - SOS Fácil
O SOS Fácil é um aplicativo que ajuda o usuário a encontrar um hospital ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA) próximo e adequado ao perfil das lesões quando for necessário tratar de alguma emergência. O projeto foi idealizado por Cláudia Toledo e desenvolvido em parceria com Giovanni Santoro Junior, que trabalha com sistema de informação. A ideia nasceu da percepção que temos na ponta da língua opções de atendimento nas cidades onde moramos, mas quando estamos longe de casa, ou quando não conhecemos a região, onde podemos ir?

Para atender essa necessidade, o aplicativo conta terá 9.600 unidades atendimento emergencial em todo o Brasil e o usuário poderá escolher a melhor opção de acordo com o local da dor ou lesão e o lugar que está. Essas informações são cruzadas e os hospitais mais próximos são apresentados em um mapa.

- O aplicativo também permite incluir informações clínicas do usuário, como alergias, tipo sanguíneos e até exames. Esses dados podem sempre ser enviados por email para um médico antes ou durante a consulta - acrescenta Santoro.

O aplicativo está em fase final de testes e também tem a possibilidade de inserir uma lista de contato para casos de emergência. Com dois cliques, um no aplicativo e outro no botão de emergência, um SMS e um email é enviado para os números e endereços cadastrados com um aviso e a localização do usuário.

Sandro Wiggers - Listen
O engenheiro de produção Sandro Wiggers é o representante de um dos três projetos joinvilenses selecionados para participar do Social Good Lab. Em parceria com outros cinco profissionais, ele criou a plataforma mobile Listen, que pretende ajudar pessoas com deficiência auditiva por meio da inclusão social. A proposta inicial é que o aplicativo para celular permita que os usuários escutem música e sirva como um simulador de aparelho auditivo.

- Através do fone de ouvido, a pessoa pode usar o celular como aparelho. Ele vai capturar os ruídos do ambiente pelo microfone e jogar no fone como se fosse o aparelho - explica.

O grupo ainda não tem testes comprovados, mas acredita que a plataforma mobile possa ajudar pessoas com até perda grave de audição. De acordo com Wiggers, o grande diferencial do projeto é o baixo custo para conseguir atingir um público que hoje está desemparado. Ele explica que o Sistema Único de Saúde (SUS) até distribui aparelhos auditivos, mas a fila de espera é de quase quatro anos. Na rede particular, o custo é de pelo menos R$ 10 mil, segundo o engenheiro.

A ideia do projeto nasceu durante o Startup Weekend, um evento de empreendedorismo realizado no final de fevereiro deste ano em Joinville. Foram selecionadas 15 ideias para serem trabalhadas durante um fim de semana e o trabalho do grupo foi o vencedor do concurso. Hoje, a equipe tem um protótipo da plataforma em fase de testes internos e pretende que a Listen esteja pronta para uso dentro de três meses.

Com a participação no Social Good Lab, Wiggers espera maturar a ideia do projeto, recebendo a consultoria de outras pessoas que já possuem trabalhos sociais e possam ajudar no aprimoramento da plataforma. O primeiro contato com os profissionais ocorre nesta quinta-feira e vai até domingo, mas novos encontros ainda ocorrerão até outubro.

Grupos se reúnem para desenvolver suas ideias de projetos Foto: Divulgação / SGBLAb

Lista de todos os selecionados

Erradicação da Fome
Alcione Pereira — São Paulo (SP) - "Connecting Food"
Daiana Censi — Balneário Camboriú (SC) - "Sumá"
Gustavo Rocha — Goianira (GO) - "Fornecimento de chocolates"

Saúde de Qualidade
Eliana Akemi — São Paulo (SP) - "Divulgação de vagas para tratamento odontológico"
Gilson Lopes — Teresina (PI) - "Qualidade de vida para cadeirantes"
Giovanni Santoro — Florianópolis (SC) - "SOS - Fácil"
Roberto Novaes — Belo Horizonte (MG) - "Monitoramento do Aedes"
Vívian Furquim Scaggiante — Florianópolis (SC) - "Portal de informações para gestação e pós-parto"

Educação de Qualidade
Allan Kolodzieiski — Curitiba (PR) - "Para Todo Mundo Ver"
Francisco de Araujo — Teresina (PI) - "Robótica educacional"
Giano Freitas — Florianópolis (SC) - "LegislAÇÃO"
Josephine Bourgois — São Paulo (SP) - "Oficinas de escrita e criativa"
Karla Pereira — Manaus (AM) - "Associação de disciplinas à vida real"
Kawoana Vianna — São Leopoldo (RS) - "Cientista Beta"
Robson Mafra — Joinville (SC) - "LIBRAS no Brasil"
Thiago Geremias — Florianópolis (SC) - "Educação de forma divertida, viciante e gratuita"

Igualdade de Gênero
Júlia Machado — Florianópolis (SC) - "As Anitas"
Raquel de Camargo — Juquitiba (SP) - "Formação de lideranças comunitárias de mulheres mães"
Valéria Ruiz — Goiânia (GO) - "Bem Separadas"

Empregos Dignos e Crescimento Econômico
Fernanda Goss — Florianópolis (SC) - "Conexão Liberdade"
Lucas Portella — Rio de Janeiro (RJ) - "Autofinanciamento de grupos"
Mariana Sieber — Florianópolis (SC) - "Crescimento de ações sustentáveis por mães empreendedoras"
Roberta Guimarães — Serra (ES) - "Turismo de imersão"

Inovação e Infraestrutura
Daniel Cardoso — Florianópolis (SC) - "Plataforma para desenvolver cidades melhores"
Henrique Laino — São Paulo (SP) - "Ajudar eleitores a entender dados públicos"
Vitor Rodrigues — Porto Alegre (RS) - "Recompensa com créditos para atividades físicas"

Redução das desigualdades
Carolina Becker — Florianópolis (SC) - " Programa de Interação Social com Imigrantes "
Bruno Batista — Dourados (MS) - "App para interpretação de Libras"
Francisco Rocha — Fortaleza (CE) - "Projeto Olhares Daqui"
Matheus de Oliveira — Florianópolis (SC) - "Trabalho em rede para ONGs"
Sandro Wiggers — Joinville (SC) - "Plataforma Listen de audição"
Sansara Buriti — Florianópolis (SC) - "Transborda: plataforma digital sobre cultura de imigração"
Taís Garcia — Jundiaí (SP) - "Turismo de baixa renda"

Cidades e Comunidades Sustentáveis
Caroline Luiz - Florianópolis (SC) - "Controle sustentável de doenças agrícolas"
José de Mendonça - Campinas (SP) - "Programa Rumo Zero"
Maiquel Silveira - Marau (RS) - "Projeto Arquitetônicos para baixa renda"
Marcela Bittencourt - Florianópolis (SC) - "Locação informal"
Victor Carneiro - Brasília (DF) - "Programa de benefícios para usuários de transporte coletivo"

Consumo e Produção Responsáveis
Adriana Rossa - Florianópolis (SC)- "Closetnanet"
Bruna Charifker - São Paulo (SP) - "Aproveitamento de resíduos têxteis"
Miguel Leiria - Joinville (SC) - "Combate ao desperdício de alimentos"
Paula Ferreira - São Paulo (SP) - "Mapeamento de serviços sustentáveis"
Paulo Lamim - Florianópolis (SC) - "Novo status"
Taiana Vanzellotti - Porto Alegre (RS) - "Consumo Consciente"

Vida Sobre a Terra
Joaquín Páez - Rio de Janeiro (RJ) - "Gestão de Unidades de Conservação"

Paz e Justiça
Ana Letícia Knuth - Gaspar (SC) - " Ajudar eleitores a encontrar o candidato certo"
Bárbara Diniz - Brasília (DF) - "Democratização da escola"
Bruno Lemos - São Paulo (SP) - "Advogados para pessoas carentes"
Rodrigo Dias Javornik - São José (SC) - "Monitoramento coletivo de pessoas"
Gianluca Tillmann Moser - Florianópolis (SC) - " Parecer sobre Projetos de Lei"

 Veja também
 
 Comente essa história