Abaixo-assinado online: confira cinco dicas para fazer sua petição Elis Pereira / Divulgação/Divulgação

Pedro Prata conversou com os participantes do JEWC nesta quinta-feira, em Florianópolis

Foto: Elis Pereira / Divulgação / Divulgação

Ana Clara foi assediada por um taxista após contratar o serviço por meio de um aplicativo; Helena ficou indignada quando soube que 500 cães de guarda seriam sacrificados em São Paulo; o garoto Lorenzo tinha uma doença rara, que provocava convulsões frequentes, e o único medicamento que trazia alívio dos sintomas era proibido no Brasil. O que essas histórias têm em comum é que foram resolvidas por meio de petições online: a empresa de táxis desenvolveu ações para evitar assédios, o canabidiol — substância necessária à saúde de Lorenzo — passou a ser permitido por lei no país e empresas de segurança de São Paulo desistiram de sacrificar os cachorros. Tudo isso ocorreu devido à pressão exercida por quem assinou os abaixo-assinados, publicados no Change.org, maior plataforma de petições online do mundo.

— A internet é muito boa para para reclamar, mas às vezes é pouco efetiva para transformações concretas. As pessoas atualmente têm muita necessidade de mudança, mas não sabem como promover a transformação na prática, e o Change.org oferece essa possibilidade. Você apoia as causas que tocam o seu coração —  explicou o diretor de comunicação da Change.org, Pedro Prata, durante uma palestra da Conferência Mundial de Empresas Juniores (JEWC), que ocorre esta semana em Florianópolis.

Com pouco mais de quatro anos de existência, a plataforma tem 150 milhões de usuários em 196 países, sendo 7 milhões de pessoas no Brasil, onde já foram vitoriosos 270 abaixo-assinados. O crescimento da organização no país tem sido impulsionado pelo atual momento de crise econômica e política, conforme Prata, pois ele acredita que a população está em busca de mudanças. 

 Se você está entre essas pessoas que buscam promover transformações, confira as cinco dicas de Pedro Prata para criar uma petição online:

1 - Escolha uma ação concreta como causa. Uma campanha por uma saúde de qualidade é bacana, mas é mais eficiente pedir por um pediatra no posto de saúde do seu bairro, por exemplo.

2 - Conte histórias de pessoas. Para explicar a sua causa, conte por que é importante apoiá-la por meio das histórias de quem está envolvido. Isso desperta o interesse das pessoas.

3 - Peça o que você quer para a pessoa certa. Quando você quer um médico para o posto de saude você tem que pedir para o prefeito, e não para o presidente. 

4 - Divulgue o seu abaixo-assinado. Parece óbvio, mas não é. Você precisa espalhar a petição para a sua rede, para todo o mundo que você conhece. Pedir ajuda a influenciadores das redes sociais também é uma boa ideia.

5 - Dê um retorno para quem te apoiou. Conforme a sua causa tiver andamento, vá informando por e-mail as pessoas que assinaram sua petição. Assim, eles poderão acompanhar o passo a passo até que sua causa seja vitoriosa.

Monja Coen promove meditação no primeiro dia do JEWC
Empresas juniores de 17 países se reúnem em evento na Capital
Evento traz 3,3 mil empresários juniores para Florianópolis 

O JEWC

A Conferência Mundial de Empresas Juniores (JEWC) reúne em Florianópolis integrantes de empresas juniores de vários países até o próximo dia 23. O evento busca emponderar os participantes no papel de líderes globais, conectando a juventude para empreender colaborativamente para um mundo melhor para todos.

*Este conteúdo foi produzido pelo Estúdio DC, bureau especializado em conteúdo de marca

 Veja também
 
 Comente essa história