Cuidados com o pet: saiba como evitar a gripe canina  Manuela Balzan/Agencia RBS

Agasalhar o cão é uma das medidas para evitar a doença

Foto: Manuela Balzan / Agencia RBS

Não são só os humanos que sofrem com o frio, os animais de estimação também ficam mais suscetíveis a doenças respiratórias nesta época do ano. Uma delas é a gripe canina, também chamada de tosse dos canis ou traqueobronquite infecciosa canina. Transmitida por meio de vírus pelo ar, secreções respiratórias, contato direito com o cão infectado ou com objetos contaminados, a doença exige cuidados dos donos.

A médica veterinária da Petz Gabriela Bianchi afirma que os sinais são leves e podem incluir uma tosse persistente, espirros, secreção nasal e ocular, febre, fraqueza e falta de apetite. O médico veterinário Felipe Pereira Gonçalves acrescenta que aos aparecerem os primeiros sintomas é essencial procurar um profissional para que o animal seja medicado:

— Muitos donos confundem como se o cão tivesse engasgado com o osso, isso pode ser um sintoma de gripe. Se não for tratada por ter agravamentos, como evoluir para uma pneumonia — diz, mas salienta que não chega a causar morte.

Shopping de Florianópolis terá atrações, degustação de alimentos e até cerveja para cães e gatos

A doença não é transmitida para o ser humano e para outras espécies, e acomete desde filhotes até cães idosos.

Confira algumas dicas para evitar a doença:

A principal medida preventiva é a vacinação. Há opções de vacina injetável ou intranasal. Elas devem ser aplicadas anualmente, o ideal é que seja no outono, antes do período de mais casos da doença. Filhotes a partir dos três meses já podem tomar a vacina. Custa entre R$ 60 e R$ 80.

Manter os ambientes bem ventilados também funciona para evitar a contaminação pelo vírus. Porém evite que o cão fique diante de correntes muito frias, muito vento ou muito frio. Para driblar isso, vale deixá-lo em ambientes aquecidos, colocar roupas ou cobri-lo com uma manta.

Caso o animal apresente algum sintoma, o primeiro passo é procurar um médico veterinário. Também é importante isolar o pet, caso tenha outros cães em casa para evitar o contágio. 

Florianópolis terá mostra itinerante de cinema gratuita sobre exploração dos animais para consumo

 Veja também
 
 Comente essa história