Um casal brasileiro decidiu batizar seu bebê, hoje com um ano, com uma letra só. A criança se chama B. Conforme reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, que conta com trechos de depoimentos dos pais, o nome foi escolhido para que a criança tenha o mínimo de influência e carga social possível. Os pais afirmam ainda que se esforçam para não dar roupas ou brinquedos socialmente ligados a um sexo — como bonecas ou carros, por exemplo — para a criança.

"Estávamos numa tentativa de amenizar a carga do que a sociedade acabou imprimindo na gente. Não só preconceitos, mas todas as predefinições do que é certo e do que é errado, do que é branco, do que é preto", informou o pai, o empresário Roberto Martini, 38 anos.

"A gente queria um nome que fosse um espaço em branco, para nosso filho poder explorar sua personalidade. E que seu nome fosse fácil para qualquer cultura. Esse nome traz uma liberdade para ele conseguir andar por diversas culturas, lugares e línguas", descreveu a mãe, Luísa Martini, 35 anos e sócia, junto com Roberto, de um grupo de agências de publicidade. 

A família informou ainda ter cunhado um novo sobrenome para a criança, que não foi divulgado pela Folha para preservar a privacidade do bebê.

 Veja também
 
 Comente essa história