A votação conclusiva das diretrizes da Educação Básica do país, que irá nortear os conteúdos trabalhados nas escolas públicas e privadas, foi adiada após um pedido de vista coletivo durante sessão do Conselho Nacional de Educação (CNE). Com isso, a apreciação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) deverá ser retomada em uma reunião extraordinária do grupo. A expectativa é de que o próximo encontro dos 24 conselheiros ocorra na próxima semana.

A sessão começou durante a manhã desta quinta-feira (7), com a leitura do parecer e a resolução normativa do CNE para a BNCC. O encontro ocorreu no auditório do Conselho e foi permitida a entrada de representantes de organizações de ensino e de professores. Protestos e discussões chegaram a interromper a reunião por cinco minutos. 

À tarde, as discussões sobre o parecer, que antecederiam os votos, foram interrompidas pouco depois das 16h. A conselheira Márcia Ângela da Silva Aguiar alegou que não houve tempo para a discussão do tema e pediu vista. Endossaram o pedido as conselheiras Malvina Tania Tuttman e Aurina de Oliveira Santana.

Até a suspensão da reunião, houve discussão entre integrantes da mesa sobre um pedido de urgência, previamente protocolado, que poderia garantir que a votação fosse encerrada nesta quinta-feira (7). No entanto, o presidente do CNE, Eduardo Deschamps, acabou encerrando o encontro.

— Vou convocar uma reunião extraordinária e a votação da Base estará na pauta — afirmou.

A BNCC está em sua terceira versão, que teve menções ao combate de discriminação de gênero excluídas pelo Ministério da Educação. A pasta ainda incluiu esse tema junto ao ensino religioso, para que se discuta nas escolas concepções de "gênero e sexualidade" de acordo com as tradições religiosas.

O ensino religioso também figura como uma área de conhecimento, assim como linguagens e matemática.

Os dois pontos acima são os mais controversos do texto e serão discutidos posteriormente à votação da BNCC em comissões específicas. De acordo com o presidente do CNE, Eduardo Deschamps, não há prazo para a conclusão dessas discussões.

Leia mais:

Conheça os 5 pontos polêmicos da Base Curricular Comum

Ensino religioso trava Base Nacional Comum Curricular

MEC esvazia gênero na base curricular e mistura tema com religião

 Veja também
 
 Comente essa história