Ubaldo Balthazar vence eleição para reitoria da UFSC Diorgenes Pandini/Diário Catarinense

Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Com 54,67% dos votos, o professor Ubaldo Balthazar foi eleito novo reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ele desbancou Irineu de Souza no segundo turno, que ocorreu  nesta quarta-feira. O resultado foi divulgado por volta das 22h30min. Ainda não há uma data para posse do novo reitor, já que a UFSC depende de burocracias e trâmites relacionados ao Ministério da Educação (MEC). 

Ubaldo Balthazar, 65 anos, é advogado, doutor em Direito, diretor do Centro de Ciências Jurídicas e estava como reitor pro tempore (temporário) desde outubro. Ele deve continuar no comando da instituição nos próximos quatro anos.

— Meu exercício começa provavelmente em meados de maio. Vamos trabalhar para que seja respeitada a autonomia da nossa universidade. Foi uma vitória incontestável com 12 pontos percentuais, com isso adquirimos legitimidade que nos permite representar a universidade perante a sociedade brasileira. Temos um plano de gestão com mais de 460 ações, caso haja vontade política. E isso não nos falta — discursou o professor Ubaldo logo após o resultado ser anunciado.

O segundo colocado na disputa foi o professor Irineu de Souza, que recebeu 42,65% dos votos. Ele já havia decretado derrota após o resultado de uma apuração paralela.

— Temos que considerar democraticamente o que aconteceu. Não podemos culpar ninguém e vamos continuar a trabalhar pela universidade — disse. 

A apuração dos votos começou por volta das 21h45min na Sala dos Conselhos, no prédio da Reitoria, no campus da Trindade, em Florianópolis, e terminou por volta das 22h30min. No momento do resultado, a sala estava tomada por apoiadores de Ubaldo, vestidos de verde e com banners em homenagem ao reitor Luiz Cancellier. Assim como ocorreu no primeiro turno, foram usadas 64 urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina. 

Segundo o presidente da comissão eleitoral montada pela universidade, Paulo Rizzo, não foram registrados incidentes no segundo turno e a votação transcorreu com tranquilidade durante todo o dia. 

Procedimento

Rizzo também explica que o nome do eleito vai para o Conselho Universitário (CUn), que deve se reunir ainda neste mês. Depois, o CUn encaminha uma lista com três nomes para o MEC, que determina quem assume. De praxe, é definido pelo primeiro nome.

— Há um interesse de todos para que a posse aconteça o quanto antes — diz. Ele lembra que em outros anos, a posse era tradicionalmente em outubro, mas acredita que por ser um mandato temporário, possa acontecer já em maio.

Participação no segundo turno foi de 37,81%

Apesar de 40 mil pessoas, entre estudantes, professores e técnicos-administrativos, estarem aptas a votar, apenas 15.236 compareceram às urnas.  Durante o dia, diante da baixa adesão da comunidade acadêmica, representantes de alguns departamentos chegaram a encaminhar mensagens a alunos e professores para incentivar o comparecimento às urnas. No primeiro turno, a participação foi de 36,7%. 

As eleições na UFSC, que ocorreram pela última vez em novembro de 2015, precisaram ser antecipadas neste ano, depois do suicídio do ex-reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, em outubro do ano passado, dias após a operação Ouvidos Moucos ter sido deflagrada na instituição pela Polícia Federal. 

Na época, Balthazar assumiu o cargo.  O mandato de vice, ocupado pela professora Alacoque Erdmann, continuará sendo exercido por ela até 2020, quando haverá a escolha de um novo nome para o cargo.  



 Veja também
 
 Comente essa história