UFSC é a segunda melhor universidade brasileira no ranking "Global Age" Ver Descrição/Ver Descrição

Fundada em 1960, a UFSC aparece entre as posições 101 e 150 e tem como destaque o faturamento com a indústria

Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) é destaque no ranking Golden Age University 2018 da Times Higher Education, consultoria britânica na área da educação superior. Na lista geral, a instituição aparece entre as posições 101 e 150, atrás apenas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que ocupa o 67º lugar, na comparação com as universidades brasileiras.

A metodologia se baseia no World University Ranking — que colocou a UFSC entre as 1000 melhores universidades do mundo no ano passado —, mas com foco nas instituições de "meia-idade": mais de 50 anos e menos de 80 anos de fundação. O objetivo é analisar as universidades emergentes, que surgiram após a segunda guerra mundial e estão se tornando relevantes em atividades acadêmicas.

Entre os fatores avaliados com 30% estão ensino (reputação, percentual de servidores para cada estudante, graduados que se tornaram doutores e receita institucional), pesquisa (reputação, receita e produtividade) e citações. Os 10% restantes são divididos entre perspectiva internacional (percentual de estudantes e servidores estrangeiros) e faturamento com a indústria (receita adquirida pela universidade com parcerias e conhecimento que foi repassado pelos acadêmicos para o setor industrial).

O aspecto com a melhor pontuação da UFSC é o faturamento com a indústria, no qual a instituição conquistou 38.4 pontos de 100. Em seguida estão perspectiva internacional, com 26.1 pontos, e quadro docente, com 25 pontos — neste último, a UFSC tem a segunda melhor avaliação entre as universidades brasileiras, perdendo apenas para a Unicamp. Por fim estão os conceitos de citações, com 23.6 pontos, e pesquisa, que teve coeficiente de apenas 10.6 pontos de 100.

Além da UFSC e da Unicamp, outras seis universidades brasileiras estão entre as 200 destacadas no ranking: A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Entretanto, apenas a estadual de Campinas estava no ranking do ano passado.

Nas pesquisas divulgadas em 2017, a UFSC vinha com histórico negativo. Se na World University Ranking 2018 a federal de Santa Catarina ficou entre as posições 801-1000 e foi a 16ª brasileira na lista, no ano anterior estava na faixa que compreendia da 601 à 800 colocação e era a 8ª brasileira. No ranking de universidades da América Latina, a UFSC também havia caído três posições.

Em entrevista à rádio CBN Diário, o secretário de Relações Internacionais da UFSC, Lincoln Fernandes, comentou como é feita a interação da universidade com a Times Higher Education.

— Dentre uma série de critérios que são adotados pelos vários rankings existentes, o principal e que possui mais peso está relacionado à reputação da instituição pelos seus parceiros nacionais e internacionais. As universidades parceiras é que de certa forma sugerem os nomes das universidades que são consideradas de excelência acadêmica — explicou o dirigente.

Leia Mais

UFSC aparece entre as 800 melhores universidades do mundo em ranking internacional

ONG de Florianópolis oferece aulas de português para mães imigrantes

Realizado no domingo, vestibular de inverno da Udesc tem índice de abstenção de 13,97% 

 Veja também
 
 Comente essa história