Aumenta número de municípios infestados pelo Aedes aegypti em SC  Salmo Duarte/A Notícia

Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Santa Catarina alcançou número recorde de municípios infestados pelo Aedes aegypti: 74. Nas duas últimas semanas Palhoça passou a fazer parte da lista de cidades nesta condição. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um incremento de 21,3% no número de municípios infestados pelo mosquito que transmite dengue, zika e ckikungunya, já que na época 61 que faziam parte do grupo.

Os dados são do boletim da  Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), que também mostra que subiu o número de casos de dengue no Estado. De 51 passou para 53 nas últimas semanas.  A maioria dos casos (33) foram contraídos dentro de SC, sendo 26 em Itapema, seis em Balneário Camboriú e um em Camboriú.  


Febre de chikungunya e zika 

Os números de casos de chikungunya e zika vírus não sofreram alteração em comparação ao último boletim. Até o momento, foram confirmados 13 casos de febre chikungunya em Santa Catarina, sendo que três deles foram contraídos dentro do Estado (dois em Cunha Porã e um em São Miguel do Oeste).  No mesmo período de 2017, foram 31 casos importados (contraídos fora do Estado) e nenhum caso autóctone (dentro do Estado). 

Já em relação ao zika vírus, um caso importado foi confirmado em um morador de Piratuba, no Meio-Oeste, que teria contraído a doença no Mato Grosso.


Até o dia 1º de setembro foram identificados 12.381 focos do mosquito Aedes aegypti em 153 municípios. Comparado ao mesmo período de 2017, quando foram identificados 8.488 focos em 139 municípios, houve um aumento de 45,9%.


Leia também:

 SC soma 51 casos de dengue neste ano

Focos do mosquito da dengue atingem marca recorde em SC

Um a cada quatro municípios está infestado pelo Aedes aegypti em SC

 Veja também
 
 Comente essa história