Florianópolis prorroga campanha de vacinação contra sarampo e pólio  Rodrigo Philipps/Agencia RBS

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Os municípios que não atingiram a cobertura de 95% na vacinação contra sarampo e poliomielite devem seguir com a campanha de imunização até 14 de setembro. A orientação é do Ministério da Saúde, já que no país 88% das crianças receberam as doses. Inicialmente a campanha encerrava dia 31 de agosto. Florianópolis confirmou a prorrogação. 

A Capital tem uma das situações mais críticas de Santa Catarina. Mesmo com dois sábados de mobilização, a cobertura contra poliomielite é de 87,68% e contra sarampo é de 90,64%. Os dados foram coletados no sistema do Datasus, às 16h desta segunda-feira. A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis ressalta, em nota, que todas as crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos precisam ser vacinadas, mesmo as que estão com a caderneta de vacinação em dia. 

— Nossa prioridade agora é realizar busca ativa das 5.180 crianças que ainda não foram vacinadas — enfatiza o secretário municipal de saúde, Carlos Alberto Justo da Silva.

Porém as ações ainda não foram definidas. Uma reunião nesta terça-feira irá estabelecer as estratégias para atingir a meta na Capital. 

Lages vacinou 93% do público. Já Blumenau e Joinville atingiram a meta estabelecida, conforme dados do Datasus. Em Santa Catarina, o Estado atingiu 103% do público-alvo, porque o Ministério da Saúde se baseia em  uma estimativa populacional para calcular a população a ser vacinada, explica a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC).

Perguntas e respostas

Qual o foco da campanha? 
Crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias). 

Crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos? 
Sim. Todas as crianças com idade entre um ano e menores de cinco anos devem comparecer aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço. 

Há riscos ao tomar doses a mais? 
Não há riscos. 

Alguma das vacinas têm contraindicação? 
Não, mas crianças com doenças imunossupressoras devem passar por avaliação médica.

Qual a vacina usada contra a pólio? 
Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses contra a pólio vão receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha. 

Qual a vacina usada contra o sarampo? 
A vacina contra o sarampo usada na campanha é a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. 

O que levar?
A caderneta de vacinação. Mas mesmo quem não tiver o documento deve procurar o posto de saúde para imunização. 

Adultos participam da campanha? 
Não. A campanha tem como foco crianças, mas conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, adultos com até 29 anos que não tiverem completado o esquema na infância devem receber duas doses da tríplice viral e adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose da tríplice viral. O adulto que não souber sua situação vacinal deve procurar o posto de saúde mais próximo para tomar as doses previstas para sua faixa etária. 

Fonte: Ministério da Saúde e Vanessa Vieira da Silva

Leia mais

 Municípios de SC devem ter dia D de vacinação contra sarampo e pólio neste sábado

 Município que não atingir meta deve ter vacinação contra sarampo e pólio neste sábado 

Cidades de SC adotam ações para atingir meta de vacinação contra sarampo e pólio

Destaque no país, SC conta com trabalho de vacinadores para ser referência em cobertura vacinal

Ministério da Saúde confirma 822 casos de sarampo no Brasil

Vacinação diminui e novos surtos ameaçam o Brasil. Afinal, o que explica esse retrocesso?

 Veja também
 
 Comente essa história