Ideb 2017: veja a nota das escolas em Santa Catarina Leo Munhoz/Diário Catarinense

Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

Nesta semana o Ministério da Educação divulgou os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2017, ferramenta do MEC para avaliar o ensino brasileiro. O levantamento feito a cada dois anos engloba três etapas de ensino (anos iniciais e finais do fundamental e médio) e todas as redes (privada e pública).

O índice varia de 0 a 10 e retrata a combinação entre fluxo e aprendizagem. As metas projetadas são diferenciadas para cada unidade, rede e escola. Esse indicador considera o ensino de português e matemática e taxas de aprovação, reprovação e abandono. Importante salientar que as escolas precisam cumprir alguns requisitos (como ter um mínimo de alunos) para fazer parte do Ideb. Em SC, foram avaliadas 1.232  escolas da rede municipal nos anos iniciais, 139 escolas rede estadual no ensino médio e 269 municípios.

Ideb 2017: conheça as escolas públicas que mais avançaram em SC 

Além disso, no ensino médio até o levantamento passado era por amostra, e as escolas não tinham meta estabelecida para 2017. A meta geral do país, em todas as etapas, é atingir 6 até 2022, o mesmo patamar educacional da média dos países participantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).


Confira as notas das escolas catarinenses nos anos iniciais do ensino fundamental  (5º ano)

Confira as notas das escolas catarinenses nos anos iniciais do ensino fundamental  (9º ano)

Confira as notas das escolas catarinenses nos anos iniciais do ensino médio  (3º ano)

 


Ideb 2017: SC aumenta índices, mas perde liderança no ensino fundamental 


O que é o Ideb

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado a cada dois anos, foi criado em 2007 para medir a qualidade das escolas e das redes de ensino no Brasil.  Ele é calculado com a combinação de dois conceitos educacionais importantes: o fluxo escolar (a taxa de aprovação, reprovação e abandono) e o desempenho de estudantes em avaliações que medem o conhecimento em português e matemática, considerados base para para as demais disciplinas do currículo escolar. 

O índice varia de 0 a 10. As metas projetadas são diferenciadas para cada unidade, rede e escola. Elas são apresentadas bienalmente, desde 2007 até 2021, de modo que os estados, municípios e escolas deverão contribuir em conjunto para que o Brasil atinja a meta 6,0 em 2022 o o mesmo patamar educacional da média dos países participantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).


Para que serve

Com os resultados, o governo determina metas para a educação e planeja a distribuição de recursos. Além disso, diretores e professores ficam sabendo como está o trabalho e podem promover mudanças. 

Leia mais:

 SC lidera em dois de seis indicadores do Saeb 2017

SC reduz fatia de estudantes com conhecimento insuficiente em português e matemática no Saeb

 Veja também
 
 Comente essa história