SC tem maior número de casos de doença meningocócica em 11 anos Divulgação/Divulgação

Vacina é forma importante de prevenção da doença

Foto: Divulgação / Divulgação

O número de casos de doença meningocócica - o tipo de meningite bacteriana com maior potencial de surtos - saltou em Santa Catarina neste ano. Até 30 de setembro de 2018, foram 64 pessoas infectadas. O número deste ano é o maior desde 2007, quando foram registrados 74 casos. No ano passado inteiro, foram 59 casos. Atualmente a taxa de incidência da doença é de 0,90 casos por 100 mil habitantes. 

 Os dados do relatório mensal da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive-SC) apontam que houve um aumento no número casos a partir de julho e desde então os casos têm ultrapassado a zona considerada de alerta: 

— Isso significa que está acima do que é esperado para a época. Neste ano, tivemos um inverno mais rigoroso e mais longo, mas os casos estão todos sob controle, não tem surto, eles estão espalhados pelo Estado. Todas as medidas de vigilância foram tomadas — reforça Vanessa Vieira da Silva,  gerente de imunização da Dive-SC. 

Neste ano, até o momento, 10 catarinenses morreram em função da doença. Mas a letalidade ainda é considerada baixa (15,6%), considerando-se que é uma doença grave, cuja taxa de letalidade pode variar de 20 a 25%.

O boletim aponta que neste ano a faixa etária com maior número de casos é acima de 30 anos, que corresponde a 26,6% dos casos, seguida pela faixa etária de 20 a 29 anos (25%). Já  a letalidade se apresentou maior na faixa etária de menores de um ano, com uma taxa de 50%.  

Os 64 casos confirmados de doença meningocócica ocorreram em 31 municípios catarinenses. Florianópolis teve o maior número, com oito casos, seguido por Blumenau (cinco) e Joinville (quatro).  

Vanessa que a principal medida de prevenção é manter a vacinação em dia e também procurar uma unidade de saúde assim que aparecerem os sintomas.  Mesmo com problemas no envio das vacinas  meningocócica C - o Ministério da Saúde tem enviado cotas mensais abaixo do necessário -, Vanessa diz que o problema é recente e não reflete nos casos, que atingem principalmente outras faixas etárias. A situação da vacina em SC deve ser regularizada neste mês. 


O que é meningite

A meningite é um processo inflamatório das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, as meninges. Pode ser causada por bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou, ainda, por processos não infecciosos.Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, dor ou rigidez de nuca e vômitos frequentes. A recomendação é procurar uma unidade de saúde próxima o mais rápido possível. 

A doença meningocócica é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo). Ela é classificada em 12 genogrupos, de acordo com sua composição. Os genogrupos A, B, C, Y, W e X são responsáveis por praticamente todos os casos da doença no mundo e infectam apenas humanos.


Como se prevenir

Manter a carteira de vacinação em dia. A vacina contra meningite C está disponível na rede pública de saúde para crianças a partir de três meses de idade até menores de cinco anos  e adolescentes de 11 a 14 anos

Ao aparecerem sintomas como febre, dor de cabeça, vômitos, rigidez da nuca e outros sinais de irritação meníngea, convulsões e/ou manchas vermelhas no corpo, uma unidade de saúde deve ser procurada  

Manter todos os ambientes bem ventilados, se possível ensolarados, principalmente salas de aula, locais de trabalho e no transporte coletivo

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão

Manter higiene rigorosa com utensílios domésticos

Evitar transitar com crianças em ambientes fechados e mal ventilados.

Leia também:

Leia mais notícias de saúde

 Vacina contra a meningite chega aos postos de Florianópolis

SC tem maior número de casos de doença meningocócica dos últimos oito anos

SC soma 12,6 mil focos do mosquito da dengue neste ano

 Veja também
 
 Comente essa história