O edital do programa Mais Médicos, publicado após a saída dos profissionais cubanos que atuavam no país, tem 96,6% das vagas preenchidas. A informação é do Ministério da Saúde, que fez um balanço das inscrições, prorrogadas até 7 de dezembro, após registro de instabilidade no site do programa. Entretanto, o preenchimento das vagas não garante que os profissionais irão atuar no Sistema Público de Saúde (SUS).

Até a tarde deste domingo (25), 29.780 profissionais com CRM no Brasil manifestaram interesse nas vagas. desse total, 8.230 médicos já estão nos municípios, os quais irão trabalhar e tem até 14 de dezembro para entregar a documentação exigida para que possam atuar.

Ainda segundo o Governo Federal, 40 médicos já se apresentaram nas unidades básicas de saúde (UBS), porém não há informação de quais municípios já tem a presença dos profissionais.

— Com a alta procura e a apresentação imediata do médico ao município, a expectativa é de suprir a ausência do médico cubano com o médico com CRM o mais rápido possível — afirmou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

No novo edital do Mais Médicos, são ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), ocupadas anteriormente por médicos que retornaram à Cuba.

Neste domingos, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) se manifestou contra a ideia de seu indicado ao Ministério da Saúde, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), para exigir a certificação de médicos brasileiros formados.

 Veja também
 
 Comente essa história