De 2000 para cá, Santa Catarina se consolidou como um polo consumidor de música eletrônica, mas o sucesso das baladas com os maiores nomes mundiais do estilo ainda não se refletiu no surgimento de grandes DJs ou produtores locais.

Nós #01: Somos um Estado de direita?
Nós #02: Há preconceito contra quem vem de fora?
 
Nós #03:  A memória negra de SC no 1º quilombo de Florianópolis     

No Estado, há empresários dispostos a aplicar de US$ 100 mil a US$ 250 mil no cachê de um top DJ gringo, e um público ainda mais a fim de fazer tal investimento valer a pena.

 Confira especial clicando no link abaixo.

Como Santa Catarina se tornou referência na música eletrônica


EMERSON GASPERIN
 Veja também
 
 Comente essa história