Aos 46 anos, dos quais 23 de carreira, o advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho atingiu um estágio em que pode abraçar causas por amizade, longe dos holofotes da mídia e sem se preocupar com quanto receberá pelo serviço. A maior parcela de seu faturamento, em torno de algumas centenas de milhares de reais por mês, vem de duas fontes. Uma é composta por pessoas envolvidas em crimes dolosos contra a vida, propensas a pagar o que têm e o que não têm para que ele as defenda perante o tribunal do júri, a área que o levou a escolher o Direito. Mas o grosso do que ganha – até porque, garante, costuma defender muitas causas de graça –  vem do outro nicho, no qual acabou se especializando devido à demanda cada vez mais alta: empresários e políticos em encrencas financeiras com a Justiça. 

Clique na imagem para ler a reportagem completa:

Foto: Felipe Carneiro / Agência RBS


 Veja também
 
 Comente essa história