Vinte e nove garotas tiveram um dia de princesa no début comunitário em São José Flávio Neves/

Confira a galeria de fotos do dia do baile

Foto: Flávio Neves

A magia de debutar encanta, ainda, muitas garotas do século 21. Mesmo com a perda da popularidade, o début, tradicionalmente conhecido como o primeiro passo da adolescente na vida social, permanece ocupando pensamentos e povoando sonhos de meninas modernas.

Prova disso foi a realização do 2º Baile de Debutantes da Comunidade de São José, na Grande Florianópolis, na sexta-feira à noite. As 29 garotas que participaram do début comunitário cultivavam o sonho, delas e ou das mães de ser considerada princesa por um dia. E foi o que tiveram.

O Diário Catarinense acompanhou a maratona de uma das debutantes no dia do baile. Desde às 7h30min até às 2h30min, permanecemos ao lado da estudante de 14 anos, Maria Andreza Ribeiro Córdova. Acompanhamos o nervosismo, dividimos a ansiedade e constatamos a felicidade da jovem quando, finalmente, entrou no salão do Clube Recreativo 1º de Junho e debutou.

O baile foi promovido pela Fundação Cultural da prefeitura de São José e contou com o patrocínio de empresários, que foram os padrinhos das debutantes.

O encanto de usar um vestido lindo e rodado, de ser o centro das atenções, de dançar a primeira valsa com o pai e ser apresentada oficialmente para a sociedade, mesmo em tempos de globalização, ainda persiste.

Tradição começou na Europa

A magia do baile de debutante começou entre as famílias reais na Europa. Os nobres realizavam uma grande festa, com o objetivo de apresentar as filhas para a sociedade. Ao longo dos anos, por volta da década de 1940, o glamour do evento atravessou o Oceano Atlântico e chegou à América.

Em Santa Catarina, até o início de 2000, a festa era comum em muitas cidades. Florianópolis, Joinville, Brusque são alguns exemplos de lugares em que a tradição está deixando de existir. De acordo com Rita Schürmann, diretora do clube Tabajara de Blumenau, muitas meninas perderam o interesse em debutar, porque descobriram novos programas.

— Elas estão mais precoces e frequentam as baladas mais cedo. É diferente do encantamento de antigamente, das moças de família que nunca saíam — afirma.

Para continuar atraindo a atenção das moças blumenauenses, Rita elabora uma série de programação com coquetel, aulas de etiquetas e dança, palestras com médicos, viagens e desfiles de moda.

Segundo o coordenador do 2º Baile de Debutantes de São José, Charlie Colzani, ele sempre quis fazer o resgate do glamour que se perdeu com o tempo.

— A intenção é resgatar os valores de antigamente — ressalta.

Veja como foi o dia de princesa das meninas:



Acompanhe a maratona de uma das debutantes:

4h: O dia debutante, que vira princesa por um dia, começa cedo, antes mesmo do sol raiar. Maria Andreza acordou às 4h por causa da ansiedade. Pensou na valsa com o pai, na emoção de ver um desejo antigo ser realizado, e depois de se revirar várias vezes na cama, pegou no sono de novo

6h: Pulou da cama e arrumou-se para a maratona de atividades. Pegou ônibus com mais de uma hora de antecedência por causa dos horários reduzidos do transporte coletivo que passa no Bairro Forquilhas

7h9min: Junto com a melhor amiga, Letícia Santos de Oliveira, 14 anos, chegou no Clube Recreativo 1º de Julho. Enquanto esperavam para a abertura do clube, o frio incomodou a dupla, que vestia apenas um moleton e a camiseta do baile

7h30min: As portas do clube abriram e as amigas, assim como as 27 debutantes que esperavam no local, subiram para o mezanino onde receberiam, durante o dia, o tratamento de beleza

8h18min: Maria Andreza e Letícia vibram quando os organizadores anunciam que podem pegar seus vestidos no ônibus.

— Me gostei muito no vestido. Quando me vi, pensei em mim e na minha mãe. Tô realizando um sonho por nós duas

10h28min: Maria Andreza faz o teste de cabelo. Escova e entende como vai ficar o penteado

11h25min: Maria Andreza faz a segunda prova do vestido e a costureira prepara os últimos retoques. A jovem aprova e se emociona ao se ver no espelho.

—Que massa! Lindo, lindo. Até emagreci — comemora

12h30min: Recebe os cuidados das cabeleireiras e o cabelo liso fica preso em um coque inspirado nos penteados românticos das princesas imperiais

13h30min: Pausa nos mimos para repor as energias e estar com tudo em cima na hora do baile. Sucos e refrigerante, além de pizza e salgados são as preferências de Maria Andreza

14h10min: A adolescente faz as unhas.

Logo depois, Andreza recebe a notícia que o pai já chegou em São José

—Ufa, que alívio! Agora, tô tranquila

15h12min: Faz a maquiagem

15h30min: Ansiosa, Maria Andreza percebe que o sonho está chegando perto de se tornar realidade. Durante a pausa para tomar refrigerante e comer pão de queijo, ela conta que esse é apenas o primeiro sonho da vida

— Todo mundo fala que eu só gosto das coisas difíceis. Mas meu outro sonho é ser juíza. A profissão é muito bonita e importante. Quero trabalhar para ajudar as crianças e adolescentes

16h17min: Olhando no relógio, Maria reclama que o tempo não passa

— Quando não queremos que o tempo passa rápido, ele sempre passa. Hoje, que eu quero, está demorando

16h30min: Vaidosa, Maria retoca novamente a maquiagem

17h40min: A adolescente toma banho e prova o vestido

— Agora falta pouco

18h35min: Charlie Colzani, organizador do baile, repassa algumas orientações sobre o baile

19h: Ocorre o ensaio final, simulando as três valsas

20h05min: Os alunos da Escola de Aprendizes de Marinheiros de Santa Catarina chegam. As jovens correm para espiar a movimentação no salão

20h55min: Maria Andreza, nervosa, coloca o vestido.

— Meus pais já chegaram? Fiquei bonita?

21h40min: Os pais de Maria Andreza: Simone Souza Oliveira, 35 anos, e João Carlos Ribeiro Córdova, 36 anos, contam que este é um dia muito especial. Eles acreditam que a oportunidade é única

22h55min: Começa o baile com a apresentação conjunta das debutantes, com coreografia e poesia

23h11min: Maria Andreza é apresentada para a sociedade

23h20min: Começam as valsas, primeiro com os pais, depois com os padrinhos e, por último, com os marinheiros

23h43min: A banda Fórum assume as músicas da festa

2h30min: Depois de aproveitar o baile, Maria Andreza vai para casa emocionada

— Me diverti muito, estou muito alegre.

DIARIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história