Com o sistema carcerário brasileiro em ebulição, chocando a sociedade com cenas de violência e barbárie, detentos da Penitenciária Industrial de Joinville se destacam na direção oposta. Por meio de uma oficina de escrita literária ministrada na unidade, presos que já se beneficiavam da remição da pena pela leitura – a cada livro lido e resenhado por mês, são abatidos quatro dias do período a que foram condenados – assinam o livro Contos Tirados de Mim – A Literatura no Cárcere. O livro foi lançado em dois volumes pela editora Giostri, de São Paulo, e um terceiro está previsto para sair em maio.

Considerada referência no país, a penitenciária tem um índice de retorno entre 15% e 20%, enquanto a média nacional gira em torno de 70%. Foi em suas dependências que, de maio a julho do ano passado, o editor Alex Giostri teve dois encontros semanais com os apenados para lhes passar noções sobre criação de personagens e desenvolvimento de narrativas. Na etapa seguinte, os alunos apresentaram seus trabalhos e receberam mais dicas para aperfeiçoá-los.

Como o projeto foi implantado e alguns contos escritos pelos presos você lê no caderno Nós desta semana clicando banner abaixo.


 Veja também
 
 Comente essa história