Presidente de clube paraguaio assume relação com jogador e alega ter sido vítima de chantagem Reprodução / Internet/Internet

Foto: Reprodução / Internet / Internet

Um caso incomum ocorreu no futebol paraguaio. Antonio González, presidente do Rubio Ñu de Luque — time semiprofissional que joga uma liga regional —, assumiu que teve uma relação íntima com um jogador do clube, Bernardo Gabriel Caballero. Em entrevista à rádio Azul y Oro, o dirigente afirmou que decidiu revelar o envolvimento de dois anos após o vazamento de fotos com o jogador na internet, que teria sido feito pelo novo empresário do atleta.

— Vamos ser honestos, era uma pessoa que estava comigo no Rubio Ñu, era muito especial para mim. Entre parênteses, era o meu companheiro pessoal. E tinha todos os privilégios: carros que nunca pensou conduzir, como Mercedes, Land Cruiser, Prado, Hilux… De repente apareceu uma velha louca, louco, e teve de deixar o clube, porque o levou a Mar del Plata. Então, tive que tomar uma medida para que não entre mais no clube. Aí que começou tudo — disse.

González também gravou um vídeo, postado nas redes sociais, em que chama Caballero de "mal-agradecido". 

— Um homem é mil vezes mais ciumento do que uma mulher, não gosto que me ameacem — acrescentou.

Segundo o presidente, o novo empresário, chamado Valentín, começou a cercar o clube e pedir a liberação do jogador, que teria sido comprado há dois anos pelo valor de 7 milhões de guaranis (R$ 4,2 mil). González pede 2 milhões de guaranis (R$ 1,2 mil) para permitir a negociação do atleta, mas o novo agente afirmou que só tinha a metade do valor. Por isso, de acordo com González, começou a chantagem.

— Faz 15 dias que este Valentín está mexendo com um secretário meu, dizendo que queria o seu passe. Eu disse a ele que não queria conversar com aquele homem. Seu passe custa 2 milhões de guaranis. Que ele traga e pronto. Ele nos citou duas vezes na Liga, fomos e ele disse que ele só tinha 1 milhão — completou.

 Veja também
 
 Comente essa história