O famoso chef americano Mario Batali, dono de um império gastronômico, denunciado por assédio sexual, foi agora acusado de agressão sexual contra mulheres inconscientes, segundo testemunhos exibidos neste domingo pela CBS.

Ex-funcionárias do restaurante de Nova York "The Spotted Pig", de Batali, frequentado por celebridades e em funcionamento atualmente, foram entrevistadas pelo programa "60 minutos", onde relataram agressões quando estavam inconscientes, sob o efeito de drogas ou álcool.

Segundo o depoimento anônimo de uma funcionária de outro de seus restaurantes, Batali teria agredido-a em 2005 no "The Spotted Pig", onde a convidara para beber.

"Acordei sozinha, no chão (...) A primeira coisa que pensei foi 'me drogaram' (...) 'me atacaram'", disse à CBS.

Depois de encontrar esperma em sua saia, ligou para a emergência, foi ao hospital e depois para a polícia. Mas finalmente desistiu de apresentar uma queixa, enquanto a evidência de estupro colhida no hospital não foi mantida.

Contactado por "60 minutos", o chef negou todas as acusações.

Jamie Seet, uma ex-garçonete do "The Spotted Pig", disse que testemunhou através de imagens do circuito de vigilância como Batali realizou outro ataque no restaurante, e como ela interveio para detê-lo.

"Ele cruzou uma linha ... Uma enorme linha... atacando alguém que estava inconsciente", disse Seet.

Uma das figuras mais famosas da culinária americana, o chef ítalo-americano de 57 anos é uma personalidade da televisão cujo império inclui 26 restaurantes em todo o país, além de livros de receitas e produtos alimentícios.

Segundo a CBS, a polícia de Nova York confirmou que "há uma investigação criminal em andamento contra Mario Batali".

* AFP

->
 Veja também
 
 Comente essa história