O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes iniciou o processo de rescisão do contrato de melhorias da BR 163, entre São Miguel do Oeste e a divisa com o Paraná. A obra iniciou em 2003, pela Sulcatarinense, mas até agora foi realizado pouco mais de 40%.  A obra de R$ 110 milhões prevê restauração de 62 quilômetros de pavimento, implantação de 10 rotatórias, quatro viadutos, 23 quilômetros de terceiras faixas e 28 quilômetros de vias marginais.

A população da região já fez vários protestos sobre a morosidade das obras. Na semana passada prefeitos da região estiveram em Brasília pedindo uma ação do Dnit.

Um novo processo licitatório deve ser lançado, possivelmente até o final do ano. Ele será separado em dois lotes. O primeiro, de 28 quilômetros, para as obras remanescentes entre São José do Cedro e o Paraná. O segundo, de 34 quilômetros, entre São Miguel do Oeste e São José do Cedro. Neste trecho será incluído o contorno viário de São Miguel do Oeste.

A reportagem entrou em contato com a Sulcatarinense mas a empresa não se manifestou sobre a rescisão.

 Veja também
 
 Comente essa história