Ponte do Peperi-Guaçu suporta até 30 toneladas mas DNIT sugere nova obra Divulgação/DNIT

Ponte sobre o rio Peperi-Guaçu liga Paraíso-SC a San Pedro, na Argentina.

Foto: Divulgação / DNIT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) fez vistoria na ponte sobre o Rio Peperi-Guaçu, que liga a BR-282, em Paraíso, com a Ruta 14, em São Pedro, Argentina. De acordo como os técnicos, a estrutura é razoável e pode receber cargas de até 30 toneladas de peso total bruto. Ou seja, não tem condições de passagem de bitrens ou carretas carregadas, o que a impede de ser passagem para viabilizar a Rota do Milho a partir do Paraguai.

Considerando a possibilidade de aumento de tráfego, e que a ponte fica submersa em períodos de cheia, o DNIT recomendou a construção de uma nova estrutura. A atual foi construída em 1991, numa iniciativa regional por convênio entre São Miguel do Oeste e São Pedro. Ela tem 72 metros de extensão. Os guarda-corpos são durante as cheias.

No ano passado foi firmado um acordo entre os governos do Brasil e Argentina para a construção de uma nova ponte, com 209 metros de comprimento e 20 metros de altura, mais que dobro do tamanho da atual. Atualmente, a ponte serve de tráfego local, mas tanto a entrada de cargas como de turistas precisam ser feitas nas aduanas em Dionísio Cerqueira. As lideranças da região Oeste querem uma aduana também em Paraíso, o que facilitaria a ligação de Santa Catarina com o Mercosul.

 Veja também
 
 Comente essa história