O promotor Jackson Goldoni, responsável pela 9ª Promotoria de Justiça em Itajaí, vai instaurar um inquérito e pedir explicações à prefeitura de Itajaí sobre as denúncias de que servidores comissionados teriam participado da sessão da Câmara de Vereadores em que se discutiu o aumento do IPTU _ aprovado na quinta-feira _ em horário de trabalho. A intenção é descobrir se houve utilização dos servidores para “fins não previstos em lei”.

O vereador Fernando Pegorini (PP) pediu acesso às imagens das câmeras de monitoramento da Casa e uma cópia do registro de quem participou da sessão. Também vai requerer à prefeitura o registro de ponto dos servidores.

Durante a sessão polêmica, assessores da oposição fotografaram e filmaram os servidores que estavam presentes.

O que diz a prefeitura

Em nota, a prefeitura de Itajaí afirma que não houve orientação aos servidores para que comparecessem à Câmara: "O Município de Itajaí esclarece que não liberou nenhum servidor, de qualquer vínculo empregatício, de suas atividades trabalhistas”. O texto afirma ainda que eventuais ausências ao trabalho, quando ocorrem, devem ser justificadas à chefia do setor, e que “em caso de descumprimento do protocolo, o Município de Itajaí adota medidas administrativas previstas em Lei".

Leia outros posts da colunista Dagmara Spautz:

Penha e Florianópolis estão entre as cidades mais hospitaleiras do Brasil

Meninos fazem crochê durante o recreio em escola de Itajaí


 Veja também
 
 Comente essa história