Terceiro maior armador do mundo volta a operar no Porto de Itajaí João Souza / Divulgação APM Terminals/Divulgação APM Terminals

Foto: João Souza / Divulgação APM Terminals / Divulgação APM Terminals

 

Itajaí voltou a receber ontem navios da francesa CMA CGM , terceira maior operadora de navegação marítima do mundo, que não atracava no Porto de Itajaí desde 2015. O navio Magdalena, de bandeira liberiana, movimentou mais de 1,1 mil contêineres.

A embarcação marca a estreia do serviço Neo Bossa Nova, que faz a rota da Europa e do Oriente Médio, com transbordo de cargas para a Ásia _ transferência de contêineres para navios que seguem até os portos asiáticos. 

O serviço já operava em Itajaí, com o armador Maersk Line. A inclusão dos navios da CMA CGM e da Hamburg Sud vai triplicar o número de contêineres movimentados pelo Bossa Nova.

A reconfiguração do Bossa Nova vai compensar a perda deixada pela partida do serviço Samba, que conecta o Brasil com o Norte da Europa e deixou Itajaí em outubro.

A APM Terminals, arrendatária do Porto de Itajaí, está otimista com o retorno do armador francês e espera atrair mais serviços para a margem direita do Rio Itajaí-açu nos próximos meses, principalmente a partir do término das obras da nova bacia de evolução, previsto para abril do ano que vem.

A expectativa da APM Terminals é fechar o ano com crescimento de 10% a 15% em Itajaí. O resultado se deve, especialmente, ao retorno do serviço Ásia, que em 2015 deixou Itajaí para operar em Navegantes. A chegada dos navios da linha Ásia aumentou em 20% a movimentação mensal do terminal.

Acompanhe as publicações da colunista Dagmara Spautz:

STJ mantém condenação à União por licenças irregulares de tainha

Gomes da Costa retoma a produção de enlatados em Itajaí

 Veja também
 
 Comente essa história