Reforçado policiamento na região de conflito entre índios e agricultores em Santa Catarina Pena Filho/

O conflito se arrasta há duas semanas

Foto: Pena Filho

A polícia decidiu reforçar o policiamento na região do conflito entre indígenas e agricultores, no Planalto Norte de Santa Catarina, depois que os colonos fizeram reféns o prefeito de Doutor Pedrinho, Ercides Giacomozzi, e uma equipe da RBS TV. O grupo foi mantido na reserva Duque de Caxias por cerca de três horas na tarde deste sábado.

Na última quinta-feira, o prefeito de Itaiópolis, Hélio Cesar Wendt, o vice Alfeu Schneider, um vereador e dois policiais militares também ficaram em poder dos agricultores por quatro horas.

Os colonos bloquearam a rodovia SC-477, no entroncamento entre as cidades de Itaiópolis, José Boiteux e Doutor Pedrinho como forma de protesto pela ampliação da reserva indígena na região. Para pressionar ainda mais as autoridades, os agricultores passaram a manter reféns aqueles que se aproximam da área.

No local, o clima é tenso. De um lado estão cerca de 150 agricultores armados com facões e foices. Do outro, aproximadamente 500 índios Xokleng, Guarani e Kaingang também armados. Os dois grupos reivindicam a mesma área.

Os ânimos esquentaram desde o dia 14 de janeiro, quando um colono que extraía madeira de sua propriedade foi barrado. Como protesto, agricultores derrubaram eucaliptos e pinus bloqueando a SC-477. Já os índios cobram a ampliação da reserva, garantida pelo Supremo Tribunal Federal, em 2003.

Funai afirma que colonos serão retirados

Os agricultores pedem a retirada dos índios e a presença de policiamento ostensivo na localidade. O administrador da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Curitiba, que atende a reserva, Glenio da Costa Alvarez, diz que apesar dos recursos no STF, o órgão já tem autorização para ampliar a reserva.

Com isso, os índios terão direito definitivo ao local, e os colonos serão retirados com indenização de posses.

A polêmica

A reserva indígena abrange terras de José Boiteux, Doutor Pedrinho, Ibirama e Vitor Meireles, no Alto Vale do Itajaí. Ela só deve atingir Itaiópolis, no Planalto Norte, com a ampliação real da reserva.

A ampliação de 14 mil para 37 mil hectares foi garantida em portaria assinada, em 2003, pelo então Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Márcio Thomas Bastos, mas emperrou por causa de recursos. Atualmente, aguarda julgamento. Com a medida, terras de Itaiópolis, além de outras cidades, virariam território indígena.

Desde a primeira demarcação de terras, em 1926, há relatos de desentendimentos entre índios e colonos. Há cerca de 11 anos, a situação se agravou quando indígenas ocuparam casas de colonos. Mais tarde, a Justiça permitiu que os colonos voltassem e houve trégua.

DIARIO.COM.BR E RBS TV
 Veja também
 
 Comente essa história