Chapecoense massacra Avaí e faz 5 a 1 no Índio Condá Raquel Heidrich/

Bruno Cazarine marcou três gols neste domingo

Foto: Raquel Heidrich

A Chapecoense goleou o Avaí por 5 a 1, na tarde deste domingo, no Estádio Índio Condá, pela terceira rodada do returno do Campeonato Catarinense. A partida foi um show de Bruno Cazarine, que marcou três e se tornou o artilheiro isolado do Estadual, com dez gols. Béa e Badé também anotaram pelo Verdão. Evando, de pênalti, diminuiu para o Leão da Ilha.

Com o resultado, a Chapecoense subiu para o quarto lugar na classificação geral do Estadual e ocupa e está em terceiro no returno. Já o Avaí caiu para quinto na geral e está na quarta posição no segundo turno.

Na próxima rodada, o time do Oeste vai a Itajaí encarar o Marcílio Dias, no Dr. Hercílio Luz, no domingo, dia 8, às 16h. Na mesma hora, o Avaí recebe o Criciúma na Ressacada em mais um clássico catarinense.

O jogo

Não foi grande o público que compareceu ao Índio Condá neste domingo para assistir a uma partida histórica para a Chapecoense. Uma tarde importante, principalmente, para ao atacante Bruno Cazarine, que agora está isolado na artilharia do campeonato. Logo no primeiro minuto de jogo, ele mostrou que era o seu dia e chutou forte de fora da área, pegando Eduardo Martini desprevenido.

Em seguida, Toni sofreu a primeira falta do jogo perto da área do Leão. O lateral cobrou na área, a bola passou por todos e o arqueiro avaiano apenas observou a bola sair pela linha de fundo.

O Avaí respondeu aos 10 minutos. Medina tentou o cruzamento, de fora da área, que foi interceptado por Badé com o braço. Na cobrança da falta perigosa, Marquinhos mandou muito acima do travessão de Nivaldo. Pouco depois, Badé vacilou novamente na lateral e Medina recuperou a bola e cruzou rasteiro, mas Anderson Lima apareceu para afastar o perigo.

Aos 18, o jovem talento da base avaiana participou de outro lance: ele tocou para Evando na área, o atacante chutou cruzado e a bola passou longe da meta. Por pouco, Lima não chegou na jogada. Seis minutos depois, foi a vez do Verdão. Beá recebeu na entrada da área, arrancou com a bola dominada, e, ao invés de passar para Cazarine, seguiu até tropeçar e perder a bola.

O Leão ainda teve uma boa oportunidade de abrir o marcador aos 25. Marquinhos fez um bonito lance na entrada da área e foi derrubado por Rafael Morisco. Na cobrança, o meia azurra mandou muito perto da trave esquerda da meta dos anfitriões.

Cazarine abre o placar no Condá

A Chapecoense inaugurou o marcador apenas aos 26. Neném cruzou da direita para Bruno Cazarine, sem marcação, cabecear para dentro das redes dos visitantes. Aos 33, Rafael Morisco mandou uma bomba de longe e Martini teve que se desdobrar para fazer a defesa.

Quatro minutos mais tarde, em uma confusão na pequena área, Anderson Lima empurrou o atacante avaiano Lima: pênalti. Evando converteu a penalidade para a equipe de Florianópolis e deixou tudo igual.

Só que nos minutos finais da primeira etapa, o Verdão ainda marcou mais dois. Béa, aos 40, cabeceou certeiro após escanteio cobrado por Toni; e Bruno Cazarine ampliou aos 43, marcando o seu sétimo gol de cabeça no campeonato.

Silas muda esquema avaiano

O Avaí voltou do intervalo com mudanças. Silas tirou o zagueiro Rafael para a entrada de Caio e pôs Arlindo Maracanã no lugar de Eltinho. A medida parecia ter dado certo no começo do segundo tempo, só deu Avaí.

Em cinco minutos, Evando chegou três vezes com perigo. Aos 12, Marquinhos cobrou falta da intermediária, mas Nivaldo saiu para fzer uma grande defesa. Até cerca de 20 minutos, o Leão dominava o jogo, que não saía do meio-campo da Chapecoense. No entanto, o time azurra não tinha sorte nas finalizações.

Preocupado, Ovelha sacou o atacante Béa do Verdão e promoveu a entrada do volante Rômulo. Em contrapartida, Silas resolveu reforçar ainda mais o ataque e substituiu Medina por William.

Com a defesa avaiana fragilizada, os anfitriões investiam nos contra-ataques rápidos. Aos 30, Neném cruzou da esquerda, Bruno Cazarine se adiantou ao zagueiro do Avaí na segunda trave e mandou com a ponta da chuteira para dentro do gol, anotando o quarto gol do time da casa.

Badé fecha placar

Três minutos mais tarde, o estreante Marcelos Ramos ainda perdeu a chance de marcar o primeiro pelo Verdão. Sozinho na área, ele recebeu o cruzamento da direita e cabeceou na trave.

Aos 41, Badé decretou o massacre da Chapecoense diante do Leão. O jogador chegou livre pela esquerda, invadiu a área e chutou cruzado. A bola passou por Eduardo Martini e ainda bateu em Arlindo Maracanã antes de entrar.

Nos acréscimos, a torcida do Verdão, que ainda não sabe o que é perder em casa neste Catarinense, já gritava “olé” enquanto os comandados de Ovelha trocavam passes esperando pelo apito final.

Gols: Bruno Cazarine, aos 29 e aos 43, e Beá, aos 40 do primeiro tempo; Bruno Cazarine, aos 30, e Badé, aos 41, do segundo tempo (Chapecoense). Evando, aos 37 do primeiro tempo (Avaí)
Cartões amarelos: Badé (Chapecoense). Arlindo Maracanã, Rafael e Medina (Avaí)
Arbitragem: Wagner Tardelli Azevedo, auxiliado por Carlos Berkembrock e Rosnei Hoffmann Scherer.
Horário: 16h.
Local: Estádio Índio Condá, em Chapecó.
Chapecoense (5) Avaí (1)
Nivaldo; Anelka, Anderson Lima (Marcelo Ramos), Rafael Morisco (William Amaral); Toni, Cadu, Everton Cezar, Neném, Badé; Beá (Rômulo) e Bruno Cazarine
Técnico: Mauro Ovelha
Eduardo Martini; Rafael (Caio), Emerson, Leandro Bambu; Medina (William), Marcus Winícius, Ferdinando, Marquinhos, Eltinho (Arlindo Maracanã); Lima e Evando
Técnico: Silas
CLICRBS
 DC Recomenda
 
 Comente essa história