Bruna volta aos braços da mãe depois de sequestro Cleber Gomes/

Família já tinha até passagens para procurar Bruna em outro estado, nesta segunda

Foto: Cleber Gomes

A pequena Bruna Gabriela Lemos, de sete meses, voltou para os braços da mãe Paula Cardoso, 18, e da avó Miriam Maria Bento na noite deste domingo. O encontro foi na Central de Polícia Civil de Joinville.

A menina havia sido sequestrada há cerca de quinze dias por uma amiga de Paula, uma adolescente, e foi encontrada por policiais militares no domingo à tarde, perto da rodoviária de Joinville. A criança está bem e sorriu.

— Tenho vontade de gritar de felicidade. A partir de agora, vamos ter todo o cuidado do mundo com minha filha. Não vou deixar mais ninguém, por mais amigo que seja, entrar e dormir na minha casa — declarou Paula.

A adolescente que sequestrou a criança já tem passagens por centros de internação para menores e fugiu com a criança no dia 17 de abril, após dormir na casa de Paula. Ela admitiu diante dos policiais militares que pretendia devolver a criança mediante a permissão para conversar com o namorado — o adolescente que matou um monitor do CIP de Joinville recentemente e que foi transferido para uma instituição de Florianópolis.

Segundo a delegada Marilisa Boehm, da Delegacia de Proteção à Mulher, a Criança e ao Adolescente, a moça será entregue ao Ministério Público e deve voltar a ser internada em uma instituição para menores. O rapaz preso junto com ela, Everton Aurélio da Cruz, 21, responderá por sequestro qualificado, segundo o delegado Rodrigo Coronha.

Ele estava com a adolescente e o bebê no momento da prisão e portava uma faca. A prisão foi intermediada pelo policial militar de folga Dirceu Claudemir, 45, que estava no CIP na tarde deste domingo. Ele se passou por assistente social para atender a uma ligação da adolescente que sequestrou Bruna.

— A moça relatou que queria uma visita ao namorado em troca da criança, que estava numa situação difícil e deu o endereço para encontrá-la. Avistei ela e o garoto, monitorei de longe, para não correr risco de uma abordagem perigosa, e acionei o policiamento tática, que fez a prisão. Salvar essa criança é como ganhar na mega sena — disse Dirceu.

A avó da criança não conteve as lágrimas e os risos. A família já tinha até passagens para procurar Bruna em outro estado, nesta segunda.

— Felizmente, essa história chegou no fim. Podemos cancelar a viagem de busca. Agora vou ajudar a cuidar da Bruna com toda segurança — disse, com a criança, já trocada e de banho tomado, no colo.
AN.COM.BR
 DC Recomenda
 
 Comente essa história