Mário Pereira é o mais novo membro da Academia Catarinense de Letras Glaicon Covre/

Mário Pereira planeja a publicação de três livros

Foto: Glaicon Covre

Nem mesmo a modéstia esconde a felicidade digna de quem acaba de ganhar lugar na Academia Catarinense de Letras (ACL). O jornalista Mário Pereira, editor de opinião do Diário Catarinense, foi eleito na tarde desta terça-feira, com 21 votos, o mais novo membro a ocupar a cadeira número 8 da ACL.

O porto-alegrense de 62 anos tem em seu currículo dois cursos universitários (Direito e Jornalismo), além de quatro décadas de profissão e nove livros publicados. Começou a carreira como repórter e chegou a editor-chefe de importantes jornais.

Na Zero Hora, em Porto Alegre, Mário teve os primeiros contatos com uma redação. Passou de repórter a editor e foi para o Rio de Janeiro, onde se tornou editor-chefe de O Jornal. Depois disso, voltou para a Zero Hora.

O jornalista trabalhou ainda em emissoras de televisão na capital gaúcha até decidir mudar para Florianópolis. Em Santa Catarina, ele ajudou a fundar o Diário Catarinense na década de 1980. Mário foi também professor de redação da Unisul.

— Só parei de dar aulas porque é muito cansativo, eu adoro lecionar — comenta.

Cadeira de amigo

Mário Pereira só aceitou entrar na disputa porque amigos acadêmicos insistiram. Outro ponto que contou bastante foi o fato de a cadeira ter sido ocupada da última vez pelo antropólogo Silvio Coelho dos Santos.

Ele era amigo pessoal de Mário, que até o ajudou a reeditar um livro. Na primeira votação, em setembro, Mário Pereira obteve 17 votos. Mas para alcançar a cadeira é preciso alcançar pelo menos 20.

Coelho morreu no ano passado e com isso a vaga ficou aberta. Entraram na disputa também, o jornalista Olsen Júnior e o advogado e poeta Mário Osny Rosa.

Expectativas

O jornalista Mário Pereira espera apenas que com o título de imortal da ACL passe a desfrutar mais do convívio dos demais membros. No restante, sua vida continuará como antes, garante ele.

Mário pretende dar continuidade a três livros que vem trabalhando. A obra infantil, intitulada Francisco e a Lebre da Quaresma, contará a história de São Francisco de Assis para os pequeninos.

Elementos da Redação Jornalística será uma publicação voltada para os acadêmicos de jornalismo e as redações. O terceiro livro, ainda sem nome, é um projeto que vem sendo confeccionado há 10 anos e se trata de um romance.

DIARIO.COM.BR
 Veja também
 
 Comente essa história