Compartilhar


Foi aprovado na Câmara de Vereadores de Florianópolis o projeto de lei que prevê a criação de um edital de licitação para o transporte coletivo na cidade. O texto foi votado em sessão na noite desta terça-feira com a presença de manifestantes que, com a decisão, impediram a saída dos vereadores do prédio.

Cerca de cem militantes da Frente de Luta Pelo Transporte Público permaneceram nas proximidades da Câmara. Além da saída dos parlamentares, eles trancaram parte da rua dos Ilhéus, ao lado do prédio, e queimaram uma réplica de um ônibus (de papelão).



Durante o início da noite, o grupo protestou contra a votação do projeto em frente ao Terminal de Integração do Centro (Ticen). Depois, seguiu em passeata até a Câmara e acompanhou a votação.

Para os manifestantes, com a licitação as empresas continuarão decidindo rotas e horários e a população ficará subordinada ao sistema. Conforme o militante da Frente Diógenes Moura Breda o que se quer é que a população decida o modelo adotado por meio de plebiscito.

A prefeitura foi quem propôs o projeto e já trabalha na elaboração de um edital. Enquanto isso, as atuais empresas que prestam serviço na cidade, por meio de contrato, continuarão operando.

Segundo o procurador do município, Jaime de Souza, o serviço é essencial, por isso não pode ser interrompido. Souza explica que com a concorrência pública, a exploração por parte das empresas de transporte passará a ser legal.

DIARIO.COM.BR
 DC Recomenda
 
 Comente essa história