Coleta de esgoto começa em 15 dias na Costa da Lagoa, em Florianópolis Alvarélio Kurossu/

Dos 3,2 mil metros de tubulação, 2 mil já tinham sido instalados do Rio Vermelho até a Lagoa. Nesta quinta-feira, os 1,2 mil metros restantes foram atravessados pela água até a Costa

Foto: Alvarélio Kurossu

Compartilhar


Em 15 dias, a rede coletora da Costa da Lagoa, em Florianópolis, estará ligada à estação de tratamento de esgoto na Barra. Nesta quinta-feira, a Casan fez a travessia e afundamento do emissário na Lagoa da Conceição, por onde passa a tubulação, que começa a ser aterrada nesta sexta-feira.

Os moradores comemoram a medida, que ajudará a diminuir a poluição do curso da água. Para fazer a travessia do emissário, foi necessário o trabalho de três mergulhadores, além de 17 profissionais da empresa de saneamento Sange, responsável pela obra.

Dos 3,2 mil metros de tubulação, 2 mil já tinham sido instalados do Rio Vermelho até a Lagoa. Nesta quinta-feira, os 1,2 mil metros restantes foram atravessados pela água até a Costa.

As tubulações foram enchidas de água para facilitar o afundamento. Para aterrar, será utilizada uma draga de escavação, que irá fazer buracos no fundo da Lagoa e cobrir o emissário (tubo). De acordo com o chefe da Divisão de Fiscalização de Obras da Casan, Adalberto Cunha Júnior, o aterramento é uma medida obrigatória para não atrapalhar a navegação.

A rede coletora foi feita em 2002, mas as quatro estações elevatórias e o tubo emissário só foram construídos este ano, com verba da Casan e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que totaliza R$ 1,2 milhão.

Apesar de a obra ter sido entregue com cinco meses de atraso, os moradores estão satisfeitos. Serão 700 pessoas atendidas. A próxima etapa é a ligação das 270 casas e restaurantes à rede coletora.

— É uma obra que vai ajudar toda a região, pois contribuirá para despoluir a Lagoa — comenta o secretário da cooperativa de barcos CoperCosta, Dalmir Manoel Pereira.

A população terá que pagar mensalmente duas taxas, com as quais não arcava. A Casan assinou um convênio com a associação de moradores para tratar a água da cachoeira local e distribuir nas residências.

Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais:

 DC Recomenda
 
 Comente essa história