Funcionários da empresa de ônibus Paulo Tur continuam paralisação em Palhoça Guto Kuerten/DC

Ônibus estão parados na Enseada do Brito em Palhoça

Foto: Guto Kuerten / DC

Compartilhar
 
 
Continua na manhã desta terça-feira a paralisação em parte das linhas de empresa de transporte coletivo Paulo Tur em Palhoça, na Grande Florianópolis. Parte dos funcionários interrompeu as atividades no início da madrugada de segunda-feira e pede melhorias nas condições de trabalho.

As linhas mais prejudicadas são as que percorrem Palhoça, Florianópolis, Gamboa, Garopaba e Paulo Lopes. O supervisor de logística da Paulo Tur, Pedro Vieira Lopes, afirmou na segunda-feira que as linhas de ônibus estão sendo respeitadas, mas em horários alternados.

Segundo o dirigente, os destinos de Enseada do Brito, Pinheira, Gamboa, Paulo Lopes são atendidos. Mas os usuários devem se planejar, porque pode haver atraso. Lopes também assegurou que os direitos trabalhistas dos demitidos serão pagos.

A adesão à paralisação é parcial. Não há consenso sobre o número de manifestantes. De acordo com o sindicatos de trabalhadores de transporte urbano da Grande Florianópolis, cerca de 60% dos trabalhadores entraram em greve. Já a empresa diz que 20% dos funcionários interromperam as atividades.

Reivindicações

Os grevistas reivindicam melhores condições de trabalho e não aceitam as três demissões que ocorreram na semana passada. O secretário jurídico do sindicato, Díonisio Lendel, destacou que o objetivo do movimento é forçar a empresa a negociar um acordo e readmitir os funcionários.

A concentração ocorre em um clube na localidade de Enseada do Brito, em Palhoça. Os manifestantes dizem que só voltam ao trabalho depois de uma negociação.

DIÁRIO.COM.BR
 DC Recomenda
 
 Comente essa história