Morre presidente da Academia Catarinense de Letras (ACL), Lauro Junkes, em Florianópolis Moacir Pereira/

Professor Lauro Junkes deixa obra excepcional para cultura catarinense

Foto: Moacir Pereira

Compartilhar



O mundo acadêmico e literário catarinense está de luto: faleceu nesta quarta-feira, às 12h, no Hospital de Caridade, o presidente da Academia Catarinense de Letras (ACL), professor Lauro Junkes. O sepultamento será às 9h de quinta-feira, no cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis. 

Junkes estava internado há pouco mais de uma semana. Há mais de sete anos passou por cirurgia de próstata para remover um tumor. Casado com a professora Terezinha, o acadêmico deixa três filhos.

Nascido em Antônio Carlos em 9 de março de 1942, era bacharel e licenciado em Letras, assim como bacharel em Direito e Filosofia. Por 34 anos foi professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), tendo atingido o grau de titular.

Legado para cultura

Intelectual posicionado entre os mais respeitados de Santa Catarina, crítico literário de destacado trabalho, pesquisador emérito, Junkes deixa obra excepcional e importante para a cultura catarinense.

Exerceu por três décadas o jornalismo crítico, comentando produções, sobretudo da literatura de Santa Catarina. Integrou várias entidades culturais e recebeu o Diploma do Mérito Cultural pela União Brasileira de Escritores (UBE) do Rio de Janeiro, em 1983, e pela UBE catarinense em 1998, além de várias outras distinções.

Tem Mestrado em Literatura brasileira e Doutorado em Teoria da Literatura. Foi agraciado com as Medalhas de Mérito: Cônego Raulino Reitz (Prefeitura de Antônio Carlos, 2007), Cruz e Sousa (Governo do Estado de Santa Catarina, 2007) e Professor João David Ferreira Lima (Câmara Municipal de Florianópolis, 2008).

Academia Catarinense de Letras

Pertencia à ACL desde 1982. Ocupou a cadeira de número 32, que tem como patrono o político, jornalista e poeta Manoel dos Santos Lostada, e foi ocupada pelo jornalista e escritor Gustavo Neves.

Junkes foi eleito presidente da instituição em 2003, e permanecia no cargo desde então. Sua gestão na Academia foi marcada por importantes iniciativas. Destaca-se entre elas o resgate de obras inéditas dos imortais da Casa — incluindo fundadores, patronos e seus membros.

Estudioso dos autores locais

Batalhador da cultura local, destacando-se na análise e no estudo dos autores conterrâneos, o professor Lauro Junkes deixa como legado sua leitura aprofundada do papel do livro e da literatura na sociedade.

— A criação artística, a obra literária e o livro constituem, ao lado da geração de um filho, formas de assegurar uma presença continuada. Uma das funções da literatura, uma das razões e motivações do escritor seria mesmo essa ânsia de imortalidade, esse desejo da memória preservada entre os pósteros, através da obra criada —destacou em seu discurso de posse na ACL.

DIARIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história