Chip implantado na tartaruga solta em Florianópolis registra caminho de mil quilômetros Diego Redel/

Tartaruga foi solta no dia 18 de dezembro e é monitorada desde então

Foto: Diego Redel

A tartaruga encontrada em Araquari e solta em Florianópolis há 20 dias está nadando neste momento próximo à fronteira entre Brasil e Uruguai. As informações são da base americana de Havaí, responsável pelas informações do chip de localização GPS implantado na tartaruga pelo Projeto Tamar.

A tartaruga foi encontrada com um anzol no esôfago e passou por cirurgia e recuperação no Projeto Tamar na Barra da Lagoa, em Florianópolis. Sua soltura foi feita no dia 18 de dezembro com aplausos de quase 200 pessoas que acompanharam o momento.

Segundo o coordenador técnico do Projeto Tamar, a tartaruga nadou em direção à praia dos Ingleses e Canasvieiras, onde ficou por um tempo. Depois, seguiu em direção ao Sul sempre próximo à costa, o que é novidade para os cientistas.

O monitoramento da tartaruga cabeçuda irá contribuir com a ciência, por ser macho. No mundo todo, são raros os estudos sobre rotas migratórias e hábitos alimentares dos machos. As tartarugas que chegam à beira da praia são geralmente fêmeas, em busca de local para desovar.

DIARIO.COM.BR
 DC Recomenda
 
 Comente essa história