Ziggy Marley toca em Florianópolis na véspera do aniversário da cidade Guto Kuerten/Agencia RBS

Christiano Andrada de Souza não perdeu nenhum show dos artistas do estilo na Capital

Foto: Guto Kuerten / Agencia RBS

Ziggy Marley, o filho de Bob, vai se apresentar pela primeira vez na Ilha. Um presente para o aniversário da cidade — o show será na véspera do feriado comemorativo aos seus 285 anos. E quem resolveu trazer o presente é um funcionário dos Correios.

Fã entusiasmado do reggae, Christiano Andrada de Souza, 38 anos, não perdeu nenhum show dos artistas do estilo na Capital. Lembra de todos os que passaram por aqui: Jimmy Cliff, Burning Spear, Alpha Blondy, The Wailers... E a lista vai longe. Desde criança, criado no Morro do Mocotó, tomou contato com a cultura rasta da cidade. Tornou-se aficionado — e continua assim. Nem casamento e nem filhos diminuíram sua empolgação com a filosofia e o som criado na Jamaica.

Michael Jackson do reggae

Mas faltava um artista para coroar a devoção dos regueiros de Florianópolis, aquele a quem Christiano se refere como o "Michael Jackson do reggae": Ziggy Marley. Esse, ele teve de assistir em Curitiba, há cinco anos. Sabendo que o astro jamaicano faria uma turnê pela América do Sul, mas sem incluir Florianópolis no roteiro, contatou o agenciador dos shows, Rob Markus, e perguntou quanto sairia uma apresentação de Ziggy fora da turnê. Markus respondeu: 120 mil dólares (R$ 200 mil).

— Quando li a resposta, tremi todo. "E agora, que eu vou fazer?". Demorei dois dias para responder o e-mail, mas comecei a negociar — relembra.

A ideia era usar a herança que recebeu do pai, falecido em 21 de janeiro, para bancar o show. Com o apoio da mulher, Gianna, resolveu seguir em frente. Mas o dinheiro não dava para muito. Aí, Christiano entrou em contato com o principal promotor dos shows de reggae na Ilha, Zaldir Costa de Lima, que topou participar da empreitada. Um terceiro promotor, Leandro Piazza, juntou-se à dupla. Também não foi fácil convencer os parceiros.

— O Leandro só se convenceu de que minha intenção era séria ao me encontrar no banco, quando fomos depositar a primeira parcela do pagamento do show. Eu estava usando meu uniforme de trabalho (Christiano é estivador dos Correios), e isso convenceu ele de que a proposta era séria. De certa forma, os Correios me ajudaram a trazer o show pra Floripa — constata o regueiro.

Confira no vídeo a história do fã:



Palestra e homenagem também no calendário

Além do show, cujos ingressos já estão à venda, tem mais. Acadêmico de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Christiano está correndo atrás de apoio para fechar com o treinador de futebol René Simões — idolatrado na Jamaica após ter levado a seleção do país à Copa do Mundo de 1998 — a realização da palestra Reggae e futebol como ferramentas sociais, que deve ser realizada no Centro de Convenções da universidade, dia 21.

No mesmo dia, Ziggy Marley deverá receber a medalha Cruz e Sousa, na Câmara de Florianópolis. A honraria homenageia pessoas negras ou defensores da etnia negra, das áreas cultural, desportiva e educacional.

 Veja também
 
 Comente essa história