Caso Goetten: político sai do luxo para uma cela comum  Jessé Giotti/Agencia RBS

Ex-deputado federal Nelson Goetten será encaminhado à Unidade Prisional Avançada de Itapema

Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS

A vida do ex-deputado Nelson Goetten na Unidade Prisional Avançada (UPA) será bem diferente do glamour que ele conheceu na política. A prisão, localizada no Bairro Morretes, em Itapema, é circundada por casas simples e gente humilde. No lado de dentro, nada de luxo: as celas são equipadas com camas de cimento, vasos sanitários, chuveiros e uma TV de 14 polegadas.

Detentos que têm curso superior ficam em celas separadas. Goetten, entretanto, não possui diploma de terceiro grau. Embora até a tarde de ontem não tivesse sido comunicado da chegada do ex-deputado à unidade, o diretor Marco Caldeira disse que normalmente os presos suspeitos de estupro e violência doméstica são mantidos em uma cela que recebe o nome de seguro. A intenção é protegê-los dos demais presos.

A UPA tem capacidade para 72 presos, mas abriga 104. Cada um deles tem direito a três refeições diárias: café da manhã, almoço e jantar, preparados pelos detentos. O cardápio é composto principalmente de arroz com feijão e carne. Quem tem condições financeiras pode receber reforço alimentar da família. É permitida a entrada de dois pães fatiados, cinco pacotes de suco artificial, cinco maçãs e 500 gramas de leite em pó por semana.

Os detentos passam por revistas na entrada e saída das celas e, embora não tenham uniforme cedido pelo Estado, são obrigados a vestir roupas brancas. Eles podem manter nas celas apenas duas mudas de roupas, que só são substituídas caso estraguem.

Acostumado à imponência do condomínio Splendour of the Sea, Goetten não terá mais direito à vista do mar. Na UPA, os banhos de sol acontecem durante duas horas por dia, em um pátio cercado por altos muros de concreto.

Condomínio em silêncio

O condomínio fechado Splendour Of The Sea, na Avenida Nereu Ramos — a principal de Itapema —, está em silêncio. O apartamento 501 do bloco D, avaliado em R$ 1 milhão, é suspeito de servir de cenário para o ex-deputado federal Nelson Goetten de Lima aliciar adolescentes. Ontem, moradores e funcionários se esquivavam de comentar a prisão preventiva do político. O conjunto de seis prédios, com dois apartamentos por andar, e seis mil metros quadrados só de área de lazer ainda não está todo vendido. Os vizinhos se dividem entre moradores e veranistas, que pouco se encontram fora de temporada. Goetten foi visto pela última vez por ali há 30 dias.

O ex-deputado federal, natural de Taió, no Alto Vale do Itajaí, era visto com pouca frequência no maior condomínio de luxo de Itapema. Às vezes, ficava até dois meses sem aparecer. O apartamento usado por ele, garantem vizinhos e funcionários que temem se identificar, pertence a outra pessoa. Os investigadores da Deic já identificaram o proprietário legal do imóvel e sabem que ele emprestava o apartamento para o ex-deputado. O trabalho agora é esclarecer se isso era feito com intuito criminoso.

Quando estava no apartamento, o político suspeito de estupro e favorecimento à prostituição não conversava com ninguém. Quando era visto, estava dentro do carro, entrando ou saindo do condomínio. Ninguém sabe dizer quem eram as companhias do político Goetten no apartamento à beira-mar.
DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história