Uma alternativa sustentável aos clientes. Um supermercado de Joaçaba, no Meio-Oeste do Estado, começou a oferecer na semana passada um novo modelo de embalagens. A caixa de papelão pode substituir 10 sacolas plásticas.

A embalagem é feita de fibras 100% recicladas e custa R$ 2. O cliente pode reutilizar a caixa até oito vezes. Graças a uma resina embutida no papelão, também é possível transportar frios e congelados.

O diferencial da peça é a sua formatação com dobras, sem grampos, cola ou fita adesiva, que possibilita a desmontagem para ocupar o menor espaço possível. O conceito inovador facilita o transporte, isso porque a caixa foi concebida para não sair do porta-malas do carro, estando sempre à disposição na hora de carregar as compras.

O projeto demorou cerca de seis meses para ser concluído, por conta de sugestões de 50 clientes que utilizaram a caixa em sistema de testes. Segundo o projetista Tiago Leite, um dos grandes diferenciais é a possibilidade de empilhamento das embalagens.

—  No porta-malas de um carro popular, podem ser colocadas até três caixas. É uma iniciativa prática e sustentável para o varejo — explica.

Uma lei municipal, que previa a substituição das sacolas plásticas tradicionais pelas chamadas biodegradáveis, está sendo discutida em Joaçaba, mas ainda não entrou em vigor. Antes mesmo de virar obrigação, clientes têm incorporado práticas para evitar o uso das embalagens convencionais.

A mudança é fruto da consciência ambiental. A embalagem de papelão, por exemplo, precisa de seis meses para se decompor no meio ambiente enquanto a sacola plástica leva quase dois anos.

A caixa utilizada no supermercado de Joaçaba, desenvolvida em parceria com a Celulose Irani, é uma iniciativa pioneira no varejo e recentemente foi vencedora da 20ª edição do Prêmio Brasileiro de Embalagem Embanews, na categoria Sustentabilidade.
DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história