Agência Internacional de Energia Atômica diz que Japão "subestimou" risco de tsunami Franck Robichon/AFP

Mike Weightman, da AIEA, entregou relatório ao assessor do primeiro-ministro japonês

Foto: Franck Robichon / AFP

O Japão subestimou o risco de um tsunami para a central de Fukushima, mas sua reação à catástrofe nuclear foi "exemplar", afirmou nesta quarta-feira a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Os comentários fazem parte de um relatório preliminar enviado ao governo japonês pelo grupo de especialistas da AIEA encarregado de investigar o acidente na central nuclear de Fukushima Daiichi, devastada pelo tsunami que varreu o nordeste do Japão em 11 de março passado.

O fornecimento de energia elétrica ao complexo de Fukushima Daiichi foi interrompido após o impacto do tsunami, paralisando o sistema de refrigeração dos reatores atômicos e dando início à crise nuclear.

"O risco de tsunami foi subestimado", assinala o relatório, elaborado por especialistas que ficaram "profundamente impressionados com o trabalho dos operários japoneses diante deste acidente nuclear sem precedentes", quando reagiram de maneira "exemplar".

O relatório da AIEA destaca ainda a necessidade de "independência da autoridade de regulação nuclear" japonesa, atualmente sob a tutela do Ministério da Indústria.

Saiba mais sobre o terremoto de março:

VÍDEOS:
Assista aos vídeos que mostram o terremoto no Japão

>> Em especial, entenda a ameaça nuclear:



>> Compare o antes e depois da destruição:



>> Entenda como ocorreu o terremoto:


AFP
 DC Recomenda
 
 Comente essa história