O nível de emprego formal na construção civil brasileira subiu 10,9% no primeiro trimestre de 2011, em relação a igual período do ano anterior, com 86.216 novas contratações, de acordo com pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). No acumulado do ano até março, o nível de emprego registra alta de 3,05%. Nos 12 meses encerrados em março, a variação está positiva em 9,7%, o que equivale à criação de 257.708 empregos.

Com isso, o total de empregados formais na construção civil atingiu 2,916 milhões em março. Apenas no terceiro mês do ano foram criados mais 5.236 postos de trabalho, o que indica um acréscimo de 0,18% em relação ao mês anterior. Em nota, o presidente da entidade, Sergio Watanabe, observou que o resultado reforça a estimativa de que o Produto Interno Bruto (PIB) da construção deverá crescer entre 5% e 6% neste ano.

Por região, o Sudeste ainda concentra o maior número de trabalhadores do setor: 1,503 milhão. Em segundo lugar está o Nordeste, com 610.575 trabalhadores. O restante está distribuído entre as regiões Sul (407.275), Centro-Oeste (220.844) e Norte (173.668). No mês de março foi apurado um crescimento do nível de emprego na construção em relação a fevereiro, nas regiões Norte (0,06%), Sudeste (0,33%) e Sul (0,32%).

AGÊNCIA ESTADO
 DC Recomenda
 
 Comente essa história