O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que não tem recursos para repassar ao governo de Santa Catarina que possam subsidiar o piso salarial dos professores. A informação foi repassada ao governador Raimundo Colombo em uma audiência na tarde desta quarta-feira, em Brasília.

Segundo informações do blog do colunista Moacir Pereira, o ministro afirmou que o Ministério da Educação e Cultura (MEC) não pode repassar recursos federais para custeio da educação. Hadaad sugeriu que Colombo envie ao MEC um ofício pedindo a publicação do acórdão pelo Supremo Tribunal que ele levará pessoalmente a reivindicação a presidenta Dilma Roussef, para que encaminhe ao ministro relator.

Presente na audiência, a ministra da Pesca, Ideli Salvati, fez uma intervenção para afirmar que a greve dos professores não acabará enquanto não houver uma negociação com o magistério. Disse, ainda, que a medida provisória, que propõe o pagamento do piso somando os valores de abonos e outros benefícos já conquistados pelos profissionais, cria uma situação inaceitável, com professores detentores de título de doutoramento recebendo menos do que os licenciados. Ela sugeriu uma negociação do governo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte), que representa os professores da rede estadual.

Durante a audiência, o Procurador Geral do Estado, Nelson Serpa, disse que o governo de Santa Catarina pretende ingressar com embargos declaratórios contra a decisão do Supremo Tribunal Federal que decidiu pela constitucionalidade da lei 11.738.

Greve dos professores

Os professores da rede estadual de ensino de Santa Catarina estão em greve
desde o dia 18 de maio. Eles querem o pagamento do Piso Nacional da Categoria, de R$ 1.187,97, como salário inicial, pago sem a retirada de outros benefícios que estão na folha de pagamento. O governo concordou em pagar,  mas somaria o salário base e os abonos para chegar ao valor, o que não é aceito pela categoria. O valor certo, segundo os professores, seria R$ 1.597, que soma o valor do piso mais os abonos.

DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história