Na maior festa de São João do mundo, público chega a 1,5 milhão de pessoas Guto Kuerten/Agencia RBS

Cidade tem apenas 315 mil habitantes, mas nos 30 dias de festa, recebe 1,5 milhão de pessoas

Foto: Guto Kuerten / Agencia RBS

Em Pernambuco, tudo que é bom é massa. Então, São João em Pernambuco é massa. Principalmente em Caruaru, a 130 quilômetros de Recife, na região do Agreste. O 24 de junho é o pico da festa, a qual dura 30 dias e chega a um público de 1,5 milhão de pessoas.

A cidade tem cerca de 315 mil habitantes e transforma-se em um grande arraial. Caruaru é chamada de Capital Nacional do Forró. Ruas decoradas, lojas enfeitadas, turistas de todas as partes. Clima cantante e dançante. O DC andou por lá. Jornalistas do Clarín (Argentina), Diario ABC (Espanha), Notícias Magazine (Portugal) e Ulysses Magazine (França) também. Além da rede de TV japonesa TBS.

A imprensa do mundo foi conferir o tal “maior São João do Mundo”. Na quarta-feira, 22, até a presidente Dilma Rousseff apareceu. Não dançou, mas experimentou a culinária típica rica em canjica, pamonha, bolo de milho, pé de moleque e outras iguarias à base de milho.

Assista ao vídeo feito pelo DC
na maior festa de São João do mundo:




Em Caruaru, nesta época do ano, cada canto tem uma fogueira. Símbolo da festa de São João, tem duas explicações para a tradição. Com origens diferentes: a pagã associa a fogueira às festas realizadas na Europa, para comemorar o solstício de verão, ocorrido no dia 24 de junho.

Os católicos dizem que Isabel estava grávida de São João Batista e combinou com Maria, sua prima, que, ao ocorrer o parto, acenderia uma fogueira sobre um monte para comunicar a boa nova e receber a ajuda da amiga no pós-parto.

Por falar em fogueira, a iluminação do Pátio de Eventos Luiz Gonzaga merece elogios. A estrutura em geral também. Assemelha-se ao sambódromo carioca, com palcos, camarotes, bares, sanitários. Tudo fixo, já que o espaço serve para feiras e eventos durante todo o ano. Tem até o Museu do Forró, onde é guardada a história deste gênero musical típico do Nordeste brasileiro. E contemporaneidades, como parte do acervo: várias peças pertenciam a cantora Elba Ramalho, forrozeira maior.

O visitante já se surpreende na chegada. Uma estátua gigante em homenagem ao Rei do Baião anuncia o ritmo. O local serve aos shows, enquanto que outros pólos espalhados nas imediações acolhem repentistas, sanfoneiros, bandas, quadrilhas. Com um detalhe: destaque para o tipo Forró Pé de Serra, aquele puro, original, com certo lirismo e que por azar não toca nas rádios comerciais.

De volta ao pernambucanês: quadrilha também é massa.

O clima esquenta no arraial montado na Vila do Forró. O espaço remonta a um povoado da zona rural da região, com respeito aos traços arquitetônicos. O público assiste as apresentações em arquibancadas, enquanto a comissão julgadora atenta a itens como animação, repertório, evolução, coreografia, figurino, marcador, adereços, saída do arraial.

Pelo jeito, já mais distanciadas do tempo do “anarriê” (para trás) e “alavantú” (para frente), expressões com origem no Francês assimiladas pelos matutos e escritas nos pórticos de entrada e saída do pátio de eventos.

Se em Pernambuco, tudo que é bom é massa. No São João de Caruaru não tem peba, (coisa ruim) no pernambucanês.

A maior festa do Mundo

- A festa de São João de Caruaru está no Guinness Book, na categoria maior festa country (regional) ao ar livre.

- Caruaru é a cidade mais populosa do interior de Pernambuco e está localizada a 130 quilômetros de Recife.

- A maior festa de São João do mundo ganhou um site com fotos, receitas típicas, dicionário matuto e reportagens sobre a maior festa de São João.

 Veja também
 
 Comente essa história