O delegado regional de Jaraguá do Sul, Uriel Ribeiro, entregou na manhã desta quarta-feira as notificações de suspensão do alvará por 20 dias de duas boates da cidade.

Nesse prazo, os estabelecimentos não poderão abrir enquanto não melhorarem o sistema de segurança e tomarem outras medidas para reduzir os registros de casos de violência no entorno das casas noturnas. Se as adequações não forem feitas, a suspensão das licenças será mantida por tempo indeterminado.

Após o espancamento e morte do jovem Rafael Sant'Ana, 18 anos, ao lado da boate Chopp Club, em 7 de maio, a Polícia Civil de Jaraguá do Sul começou uma investigação para apurar os casos de violência que ocorreram na região do Chopp Club, no bairro Água Verde, e também do Líder Club, no bairro Vila Lalau - outro estabelecimento que, segundo a polícia, tinha registros de brigas com frequência.

O dossiê reuniu mais de 30 ocorrências, entre agressões, discussões, tentativa de homicídio e morte, e foi entregue ao delegado regional há cerca de duas semanas. Uriel Ribeiro avaliou o documento e concluiu que os estabelecimentos precisam investir na segurança dos clientes.

— São necessárias readequações, principalmente para coibir a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade, e haver uma fiscalização mais rigorosa com a entrada de adolescentes — diz o delegado regional.

A segurança no entorno da boate também terá de ser avaliada pelos donos dos estabelecimentos.

Investimento

Uriel afirma que os donos da boate terão os 20 dias para apresentar o relatório do que foi alterado no sistema de segurança. Ribeiro afirmou que conversou com o dono do Chopp Club, Orácio Schopping, e ele se prontificou a arranjar uma solução para as irregularidades.

Uma das sócias do Líder Club, Geni Schramm, disse que vai se manifestar somente após conversar com o delegado regional. Ribeiro contou que a conversa com a empresária está marcada para semana que vem. Schopping não quis falar com a reportagem sobre o assunto.
A NOTÍCIA
 DC Recomenda
 
 Comente essa história